UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH

Paris, 06 de julho de 1875

A Aurora, DAUBIGNY

A Aurora (Galo cantando, 1858) – Bibliotèque Nationale de France (Paris)

Continuação da descrição de Vincent a Théo sobre as gravuras que pendurou na parede do quarto alugado em Montmartre.

Charles-François Daubigny foi um pintor parisiense participante da Escola de Barbizon e bastante conhecido como um importante precurssor do Impressionismo. Ele nasceu em 15 de fevereiro de 1817 em uma família de pintores e aprendeu arte com seu pai Edmond François Daubigny e seu tio, o miniaturista Pierre Daubigny. Segundo o pintor, ele aprendeu a pintar e desenhar antes mesmo de saber ler.

Aos nove anos de idade sua mãe o mandou para um internato na região do Val d’Oise. Com quinze anos, Charles já trabalhava decorando relógios, caixas de joias e ventiladores para ajudar no orçamento familiar. Em 1834, ele começou a trabalhar no Louvre restaurando velhas pinturas e recebia 5 francos por obra, posteriormente, trabalhando no Castelo de Versailles. Em 1835, ele entrou no atelier de Pierr-Asthasie-Theodore-Sentiès, um pintor acadêmico. No ano seguinte, viajou por dois meses para a Itália. Durante os anos seguintes, Daubigny se dedicou em estudar e apresentar seus trabalhos no Prix de Rome, uma tradicional competição. Finalmente, em 1848, ele recebeu uma medalha de segunda classe, aumentando sua popularidade.

Inicialmente, Daubigny se dedicou ao estilo clássico, que foi modificado em 1843, quando começou a participar da Escola de Barbizon e trabalhar ao ar livre retratando a natureza. Em 1952, ele começou a trabalhar no barco Botin, que virou um estúdio flutuante, navegando ao longo do Siena e Oise. Durante esta experiência, o pintor conheceu a obra de Gustave Courbet.


Em 1866, Daubigny visitou a Inglaterra, retornando eventualmente por causa da Guerra Franco-Prussiana em 1870. Em Londres, ele conheceu Claude Monet, e juntos partiram para a Holanda. Em Auvers, ele conheceu Paul Cézanne e estes dois encontros foram importantes para o pré-impressionismo, já que estes dois jovens pintores (Cézanne e Monet) foram influenciados pela arte de Charles. Os melhores trabalhos de Daubigny retratam a natureza em seu constante movimento, e este naturalismo tem uma grande preocupação em analisar e retratar a luz natural através do uso da cor, técnica que foi usada daí em diante pelo impressionismo. Seus trabalhos foram de extrema importância para os impressionistas e pós-impressionistas como Van Gogh, por exemplo. O aprendizado da pintura foi passado para seu filho Karl.

Daubigny morreu no dia 19 de Fevereiro de 1878, em Auvers-sur-Oise.

________________________________________________________________________

Às sextas e terças, esta coluna traz obras digitalizadas de outros pintores que influenciaram o pintor monoauricular Van Gogh e obras suas, mas tão somente as que forem citadas nas Cartas a Théo, acompanhadas da data da carta que cita a obra, bem como as citações sobre ela e uma pequena biografia de seu autor. Para outros olhares neste curso, clique aqui.

Uma resposta to “UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH”

  1. UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH « Says:

    […] de la Peña (1807-1876), Jean-Baptiste-Camille Corot (1796-1875), Jules-Louis Dupré (1881-1889) e Charles-François Daubigny (1817-1878) lá se estabeleceram, formando assim uma colônia de artistas, a fim de passar longos […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: