UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH

Nuenen, Segunda 13 de abril de 1885

As Catadoras de batatas (Estações de Outubro) , LEPAGE

As Catadoras de Batatas, Haia, Koninkliljke Bibliotheek 1879


“… você escreve que quando os citadinos pintam camponeses, por mais que seus personagens sejam magnificamente bem pintados, involuntariamente, entretanto, eles nos lembram mais os habitantes dos arrabaldes parisienses.

Eu também já tive essa impressão (se bem que, em minha opinião, a mulher colhendo batatas de B. Lepage constitua uma evidente exceção), mas isto deriva justamente do fato de que, na maioria das vezes, os pintores não se envolvem pessoalmente com a vida dos camponeses. Por outro lado, Millet disse, ‘na arte é preciso dar o sangue.”

Jules Bastien Lepage, foi um artista que deslocou seu olhar, também, para o campo. O escritor Émile Zola chamou-o de “neto de Millet e Coubert” já que capturou com extremo afeto a vida pastoril. A impressão de Zola, é a priori confirmada com a de Van Gogh, quando este comenta com seu irmão, a substancial impressão que o pintor consegue passar com seu trabalho. As obras de cunho naturalista de Lepage se destacam, também, pelo fato de o pintor ter vivido num período na qual a maioria dos artistas estavam envoltos numa atmosfera épica, num estilo de pintura histórica.

A paleta de Lepage confere a maioria de suas obras uma extrema luminosidade e poesia, deixando que rastros modernos ecoem aos nossos olhos quando estes a percorrem. Percebemos, assim, nos seus pormenores de precisão fotográfica, a dura labuta dos agricultores franceses.

Lepage nasceu em 1 de Novembro de 1848, na vila de Damvillers, França. Cresceu em um ambiente rural e sempre teve seu gosto artístico estimulado por seus familiares. Quando jovem, foi a Paris realizar seus estudos na École des Beaux-Arts, a partir de 1867, sob coordenação de Cabanel. Ao longo de sua carreira é possível perceber gradativamente o interesse que as obras de Gustave Coubert atingiram a percepção e a atenção de Lepage. Fez intensas e frequentes viagens ao interior da França e da Itália, se identificando e re-definindo seu conhecimento a cerca do mundo rural, aliando à memória infantil, configurando, assim, seu ideário pictórico. Jules Bastien Lepage morreu em Paris, em 1884, cheio de projetos.


_______________________________________________________________________

Às sextas e terças, esta coluna traz obras digitalizadas de outros pintores que influenciaram o pintor monoauricular Van Gogh e obras suas, mas tão somente as que forem citadas nas Cartas a Théo, acompanhadas da data da carta que cita a obra, bem como as citações sobre ela e uma pequena biografia de seu autor. Para outros olhares neste curso, clique aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: