UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH

Arles, 13 de agosto de 1888

 

As Pequenas Mendigas (1890), BOUGUEREAU



Petites Mendiantes, Nova Yorke, Syracuse University

Clique para ampliar

 

Van Gogh comenta seus planos de mudança tanto de cidade quanto de técnicas para suasobras e como sempre escreve sobre pintores que lhe inspiram. Mas o grande problema é a falta de modelos:

Espero fazer estes dias um estudo de loureiro-rosa. Se pintassemos polidamente como Bouguereau , as pessoas não teriam vergonha de se deixar pintar; mas creio que o fato de acharem o que faço “malfeito” , que não é mais que quadros cheios de pintura, me fez perder muitos modelos. Então as honradas putas tem medo de se comprometer e de que zombem de seus retratos. E há com o que quase se desanimar, quando sentimos que poderíamos fazer tantas coisas se as pessoas tivessem um pouco mais de boa vontade. Não posso me resignar a dizer que “as uvas estão verdes”, não me consolo por não ter mais modelos.

Enfim é preciso ter paciência e voltar a procurar outros.

Adolphe William Bouguereau foi um pintor francês de nus, cenas mitológicas e religiosas, conhecido por ser uma figura dominate na pintura acadêmica francesa durante a segunda metade do século XIX.Seu trabalho foi caracterizado por um acabamento de alto nível, um realismo tecnicamente impecável e uma interpretação sentimental de seus sujeitos. Seu perfeccionismo lhe rendeu muitos prêmios e honras.

Nascido em 30 de Novembro de 1825 na cidade francesa de La Rochelle. Ele entrou para a Escola de Belas Artes ( École des Beaux-Arts) onde foi pupilo de Picot em 1846 e foi premiado com o Prêmio de Roma (Prix de Rome) em 1850.  Após seu retorno para a França após estudos de 4 anos de duração na Itália, ele atraiu um amplo número de seguidores com suas pinturas alegóricas e mitológicas, apesar da sua produção de retratos terem maior estima atualmente.

Ele executou a decoração de murais da Catedral de  La Rochelle e em Paris as de Santa Clotilde, Santo Augustinho e São Vicente de Paula.

Alguns livros descreve sua rotina como algo frenético: acordava as 6 horas e se dirigia a seu atelier onde ficava até o cair da noite, saciando sua fome com ovos. Ele recebia convidados, fumava, conversava, contava piadas, mas nunca parava. Quando não havia luz para pintar, ele trabalhava em sua volumosa correspondência e depois se retirava para meditar e desenhar novos temas só parando na exaustão da noite.

Devido a seu forte amor pela pintora americana Elizabeth Gardner ele lutou pelo direto das mulheres como artistas e ajudou na abertura dos primeiros ateliers e cursos de artes para mulheres.

Ele morreu na sua cidade natal em 19 de agosto de 1905. Bouguereau sempre recusou ser ditado em relação aos temas pintados e podemos dizer que ele somente pintava o que o agradava, inclusive diversos retratos, que não eram tão bem vistos no meio acadêmico.


________________________________________________________________________

Às sextas e terças, esta coluna traz obras digitalizadas de outros pintores que influenciaram o pintor monoauricular Van Gogh e obras suas, mas tão somente as que forem citadas nas Cartas a Théo, acompanhadas da data da carta que cita a obra, bem como as citações sobre ela e uma pequena biografia de seu autor. Para outros olhares neste curso, clique aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: