Archive for Janeiro, 2011

Histórias das músicas brasileiras

Janeiro 23, 2011

João Nogueira é um dos  sambistas mais conhecidos da história deste gênero. Morto  por um infarto em 2000 João deixou nesta terra seus sambas e um filho cantor, o insoso Diogo Nogueira que infelizmente não aproveita sua harmonica voz. Desde a adolescência já transava o samba e o carnaval em sua comunidade. Participou ativamente da Portela de onde saiu posteriormente para fundar a tradição. Fundou o Clube do Samba para ajudar e organizar os sambistas politicamente além de refundar o carnaval de rua nas comunidades. Sendo uma pessoa muito boa e sociavel João fez muitos amigos no samba e sua última obra foi o disco ao vivo no bar paulista Pirajá que se intitula Esquina Carioca e que traz os sambistas Beth Carvalho, Dona Ivone Lara,  Luiz Carlos da Vila, Moacyr Luz , João Nogueira e Walter Alfaiate.

—————-———————-———————————-——–———————–

“João Nogueira é um compositor da escola de samba Portela mas não é  exatamente um sambista de escola de samba. Ele próprio define seu  samba, sua música como samba de calçada. Ele é um compositor carioca,  suburbano, mulato e malandro e evidentemente nesta definição engloba  também a sua gloriosa escola de samba Portela.

O samba de João Nogueira reestabeleceeu uma velha tradição do samba  carioca, aquele samba chamado Samba Sincopado. E o João faz muito bem  este tipo de samba só que com um carater nitidamente dos anos 70. João  Nogueira é muito suburbano em sua música. Tão suburbano que eu diria  que ele poderia até ser um personagem de um Lima Barreto, Marco  Rebello ou de um Sérgio Porto. João Nogueira é também um compositor  engajado nas grandes causas da música brasileira. Ele agora por  exemplo acaba de criar o Clube do Samba que é um clube para defender  os sambistas principalmente aqueles sambistas que não tem por razões  sociais acesso aos meios de divulgação, às gravadoras.”

Sérgio Cabral

João: – Queria dizer um negócio que até me emocionou e que é a  respeito que nós devemos nos unir e voltar todo mundo para poder  formar o bloco senão fica tudo aí na mão deles mesmo.

– Eu quero creer que quando um pai dá a infelicidade de uma filha ser  infeliz aí ele tem que chegar com a filha dele. Por que se ele deixar  a filha dele a vontade, a puta fica pior. A mesmissima coisa na  Portela. Então nós com todo sacrifício por que nós praticamente  criamos isto aqui e ajudamos a conservar então nós não podemos deixar   na mão deles. Nós temos que esta sempre aí, qualquer ingratidão,  qualquer coisa sempre alí. Por que nós nos gostamos, nós brigamos que  é uma coisa comum, é uma coisa natural mas a gente tem que estar ao  lado.

-João: Eu dou razão a você. Eu sou Portela.

Diálogo de João Nogueira com a velha guarda.

Tia Vicentina: Você tá sumido. Quanto sumiu assim como Clara Nunes,  Paulinho da Viola, o que acontece que vocês não aparecem na Portela.

João: Pois é minha tia estou até errado com a senhora mas é que é  muito negócio de show, gravação de disco. Agora o que eu quero saber  que todo mundo me pergunta é como faz aquele feijãozinho gostoso.

Tia Vicentina: O feijão é um feijão natural conforme todo mundo faz: a  feijoada. Agora o meu ver é diferente por que eu tenho segredo da  feijoada e este segredo não conto a ninguém é meu mesmo. É o feijão da  Tia Vicentina. Mas neste ano que vem a gente vai ser um por todos e  todos por um. Pois é como é que estão os sambas.

João: Está tudo bem. Estou gravando, gravei um LP agora bonito… vou  mandar um pra senhora autografado de coração.

Tia: Tou esperando.

Conversa de João Nogueira com a famosa Tia Vicentina, imortalizada na  música do Paulinho da Viola, “No Pagode Do Vavá”|”-Provei do famoso  feijão da Vicentina|Só quem é da Portela é que sabe|Que a coisa é  divina”

Todos estes diálogos foram retirados do curta documental João Nogueira, Carioca Suburbano, Malandro e Mulato.

 

João Nogueira sempre teve um samba fraterno e engajado. Nesta foto com Moacyr Luz e Lula.

 

O flamenguista João Nogueira com o Fluminense Cartola

 

Bela foto onde Joel do Bandolim, Sérgio Cabral e João Nogueira fazem serenata a luz do sol para Beth Carvalho

 

João Nogueira e Alcione soltam a voz.

 

Foto da parte do time que formou o Clube do Samba. De uma olhada no naipe dos jogadores. Sentado da esquerda atravessando a direita: Dalmo Castelo,Paulo Cesar Feital,  Paulo Cesar Pinheiro, Athayde, João  Nogueira e Moacyr Luz.

 


Notas sórdidas

Janeiro 22, 2011

  • Quanto vale um Picasso apaixonado? Ao menos este que vai ao leilão estimasse por volta de 25 milhões de reais. Trata-se do quadro “A Leitura” onde Picasso retrata sua amante Marie-Therese Walter de maneira poeticamente cubista. Aos interessados em empobrecer ou saber do resultado o leilão acontece na casa londrina Sotherby em fevereiro.

  • Uma das figuras mais produtivas destes últimos anos o cyberpolítico Julian Assange vai ter sua vida adaptada ao cinema. Ao menos este são os planos de Andrew Fowler que detem o direito do filme. A história promete envolver além da política o suspense.

  • Quem tiver que viajar para a Sérvia deixe para ir em Julho. Nada ligado ao clima, mas ao festival Exit Music Festival que ocorrerá nesta data e jpa confirmou nomes como Portishead, Arcade Fire, Hadouken!, Tiga e James Zabiela. Outros ainda virão.



  • Um dos diretores mais diferentes do cinema americano Darren Aronofsky (Requiem para um sonho) confirmou um novo projeto que preferiu não mencionar exatamente baseado em que… Mas já antecipou que é em Agá Q (HQ).



  • Se você pensa que o folkie Bob Dylan só entoa canções você passou longe. Dylan também é um grande escritor e contador de histórias. Com um livro já publicado, Bob deu um passo importante esta semana: assinou um contrato para a publicação de 6 livros pela editora Simon & Schuster. Que Zimmerman faça soar as letras.



  • Já o imaginativo John Lennon vai ganhar um projeto interessante em relação aos seus escritos. Yoko Ono vendeu os diretos para publicação de mais de 150 cartas de John. Estas cartas além de divulgar os pensamentos lennianos devem ser um material sobre o cenário cultural dos anos 70.



  • O baterista de um dos maiores idolos do rock, Iggy Pop, morreu atropelado nesta semana. Que os deuses do rock o tenha e novos talentos surjam em rock.

 

  • Olinda oportunidade de balançar uma cidade… Neste domingo (23) no Centro de Cultura Luiz Freire as 15:30 aconteçe uma grande festança no embalo do frevo. As atrações são Orquestra do Frevo, Academia de Berlinda e Baião Polinário. Os ingressos saem ao preço meia boca de 15 reais. Mas quem sabe cantando um frevo inteiro não paga menos. É madeira que cupim não roi.

  • Este fim de semana tá arretado também em Salvador. Neste domingo (23) concertos de Edu Lobo no Teatro Castro Alves. Na quinta (27) o mesmo local recebe Adriana Calcanhoto as 21 hrs.

 

  • Na capital Recife o embalo é na Praça Central do Morro da Conçeição que traz a partir das 12 hrs deste domingo o Clube do Samba com atrações Karynna Spinelli, Moacyr Luz,Mesa de Bambas é 10 e Jorge Riba entre outros. A entrada é 1 Kg de alimento não perecível.

 

 

  • Ainda em Salvador está em cartaz com preços populares a peça-espetáulo Fernando Pessoa  que conta com a direção de Marcos Machado. O espetáculo que tem o formato de café concerto traça um painel das tradições e da poética na literatura portuguesa, resgatando a obra de Fernando Pessoa. Na apresentação, Amadeu Alves toca músicas ao vivo. Isto ocorre no Gabinete Português de Leitura as quintas feiras 19 hrs até dia 24 de fevereiro. Informações: 3329-5758 / 3329-2733.

 

  • No Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura na ensolarada Fortaleza a festa desta semana será boa. Hoje as 18 hrs ocorre a Contação de Histórias – Strega Nona e outros Contos Italianos seguido da Dança Flamenca as 20 hrs. Amanhã (23) as 19 hrs apresentação do Pra Ver a Banda com a Banda Municipal de Paracuru. Na quarta à sexta (26 a 28) ocorre o 5º Festival Rock Cordel sempre as 18:30.

  • No Centro Banco do Brasil do Rio de Janeiro acontece a exposição “Cora Coralina – Coração do Brasil” que vai até dia 13 de Março e traz um pouco da vida e obra desta referência na literatura nacional.
  • No Centro Cultural Banco do Brasil de Brasilia esta semana abre a exposição da artista japonesa Mariko Mori intitulada “Oneness” e que fica em cartaz até 3 de abril. A artista utiliza o design e a arte de vanguarda para compor elementos de engenharia de ponta, interativos e de forte impacto físico e visual.

 

  • A nova ministra da Cultura que esteve em um festival de cinema recentemente, anunciou esta semana a composição complet de seu secretariado. Nomes como Cláudia Leitão, Marta Porto, Ana Paula Santana e Emir Sader fazem parte da secretaria. Que esta barca navegue para frente e ultrapasse os entraves culturais

 

  • Temos duas noticias uma boa e outra ruim. Na verdade é uma noticia ambivalente: O filme brasileiro “Lula – O Filho do Brasil” dançou e ficou de fora do Oscar de Melhor Filme estrangeiro. A lista dos pré-indicados já foi anunciada e o resultado dos 5 classificados sai nesta terça. Apostas para o belo “Biutiful”, do mexicano Alejandro Gonzalez Iñarritu, “Incendies”, do canadense Denis Villeneuve e”Em um Mundo Melhor”, da dinamarquesa Susanne Bier
  • Além de ser superior ao Brasil no Futebol, nossos hermanos argentinos tem um cinema muito melhor que o nosso. Tanto na qualidade quanto na quantidade. Na quantidade o curta-metragem “Porque Hay Cosas que Nunca se Olvidan”, do diretor argentino Lucas Figueroa, quebrou o recorde do curta mais premiado da história, ao levar quase 300 prêmios em diferentes festivais. O curta de 13 minutos conta uma história envolvendo crianças e futebol. Este blog disponibiliza o curta no player acima.

 

  • Uma das pouquissimas bandas americanas que merecem atenção como uma música produtiva, o Cake, depois de sete anos sem gravar está com seu novo album em lançamento esta semana. Para os que não querem sofrer os meses de espera até chegar por aqui pode conferir a faixa “Showroom of Compassion” que a banda lançou pela internet nesta última semana podendo ser baixada ou apenas escutada.

 

  • Depois que os fenomenos naturais do Rio de janeiro terem ocorrido, o governo do Rio está utilizando os centro culturais para arrecadação de alimento. É comida e roupa na cultura. Para achar um destes centros de uma olhada por aqui.

UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH

Janeiro 21, 2011
Arles, 18 de agosto de 1888

 

Jovem em uma mesa (1887), TOULOUSE-LAUTREC


Poudre de riz, Amsterdam, Vincent Van Gogh Museum

 

Van Gogh compara uma de suas obras com um outro quadro que muito admira e que Theo possui:

” A cor deste retrato de camponês é menos escura que nos Comedores de Batata de Nuenen- mas o muito civilizado parisiense Portier, provavelmente assim chamado por que atira todos os quadros porta afora, vai dar com a cara no problema. Desde então você mudou, mas você verá que ele não mudou, e realmente é pena que não haja em Paris mais quadros de tamancos. Não creio que meu camponês faça má figura frente, por exemplo,  ao Lautrec que você tem, e inclusive atrevo-me em acreditar que o Lautrec ficará, por contraste simultâneo ainda mais distinto, e que o meu ganhará com esta estranha aproximação, pois sua qualidade ensolarada e ardente, crestada pelo grande sol e pelo ar puro se manifestará melhor ao lado do pó de arroz e das roupas elegantes.”

Henri-Marie-Raymonde de Toulouse-Lautrec-Monfa ou apenas Henri de Toulouse-Lautrec foi um pintor e litografista francês conhecido por ser um dos principais pintores do Pós-Impressionismo. Ele foi um ótimo retratista e sua arte mostra um pouco da vida noturna, da boêmia e prostituição da França do séc. XIX. Ele usou linha livre e expressiva, que com frequência se tornava puro arabesco, resultando em excelentes composições rítmicas.Um outro fato louvável é que Toulouse-Lautrec foi praticamente aquele que inventou os cartazes (posteres) a partir de 29 bases feitas em 1892 para o Moulin Rouge, que mesma época em que pintava as cenas de bordeis.

O pintor nasceu em 24 de Novembro de 1864 na cidade de Albi. Filho do Conde Alphonse de Toulouse-Lautrec foi o único filho sobrevivente de uma família ligada a aristocracia francesa. Seu avô, pai e seu tio eram artistas amadores, e Lautrec mostrou um grande interesse e habilidade natural em desenho na infância. Aos 13 anos ao levantar de uma cadeira quebrou o femur e no ano seguinte a perna direita. Embora não tenha sido propriamente diagnosticado durante sua vida, é provável que o pintor tenha sofrido de uma doença dos ossos (talvez devidos aos casamentos incestuosos, consanguineos em sua família). Ele se tornou aleijado depois de um acidente de  montaria em 1878. No ano seguinte se tornou pintor tendo seu primeiro professor René Princeteau que o incentivou a mudar para Paris em 1882 onde ele se tornou estudou no Lycée Fontanes e posteriormente foi pupilo dos pintores acadêmicos Léon Bonnat e Fernand Cormon (onde estudou com Bernard e Van Gogh). Sobre a influência especialmente de Degas e Van Gogh ele rompeu com o rigor da arte oficial e montou seu próprio atelier em 1884. Sendo uma pesssoa extrovertida e sociavel o pintor participou de um  circulo de pintores e intelectuais de onde fez amigos como Louis Anquetin, Emile Bernard, e Vincent van Gogh.

Suas primeiras ilustrações foram publicadas no jornal de Monmertre Le Courrier français, além de em Le Mirliton em 1886, e no local onde o Mirliton Cabaret faz uma exibição com suas obras.Suas pinturas e posteres ficaram muito famosos principalmente os ligados ao Moulin Rouge e a dançaria La Gueule. Com uma vida boêmia e desregrada o pintor sofre um colapso nervoso em 1899 e sua proximidade com a família o fez ser internado por um curto período em um manicômio.

No ano seguinte começa e estudar a vida de Montmartre que passa a ser exposta no Salão dos Independentes em 1889 o que dá espaço para diversas outras exposições (como Os XX em Bruxellas, Exposição Universal das Artes Incoerentes, a Exposição du Petit Boulevard- organizada por Van Gogh, etc). Por volta de 1899 sua saude deteriora devido ao alcoolismo e a sífilis e ele se retira ao Château de Malromé, onde ele morreu de um infarto no dia 9 de setembro de 1901.

Sua influência na arte francesa do fim do Séc. XIX e começo do séc. XX foi enorme pelo seu uso de novos temas, sua habilidade de capturar a essência de um indivíduo com os meios econômicos, e suas inovações estilísticas. Apesar de sua deformidade e do alcoolismo e colapso mental, Lautrec ajudou no ritmo da arte de vanguarda, durante um longo tempo após sua morte.

________________________________________________________________________

Às sextas e terças, esta coluna traz obras digitalizadas de outros pintores que influenciaram o pintor monoauricular Van Gogh e obras suas, mas tão somente as que forem citadas nas Cartas a Théo, acompanhadas da data da carta que cita a obra, bem como as citações sobre ela e uma pequena biografia de seu autor. Para outros olhares neste curso, clique aqui.

Paul Cézanne é um pintor francês frequentemente associado com os Impressionistas, mas ele sempre teve outras metas, sendo melhor enquadrado como Pós-Impressionista.Ele dizia que sua ambição era “fazer do Impressionismo algo sólido e durável como a arte dos museus’. Seu trabalho foi mais aceito pela vanguarda parisiense em 1890 e teve uma grande influência no cubismo na obra de Pablo Picasso e no desenvolvimento da arte do século XX.

Cézanne nasceu em 19 Janeiro de 1839 na cidade francesa

de Aix-en-Provence. Sua infância foi dominada pelo pai,

Louis-Auguste Cézanne, um banqueiro rico, e seu amigo

Emile Zola. Durante a infância ele estudou em escolas tradicionas como o Collége Bourbon.Sob pressão da família ele foi treinado para ser advogado em sua cidade natal, enquanto atendia lições de desenho na academia local (Escola de desenho livre do Musée d’Aix) em 1857.

Em 1861 Cézanne abandonou seus estudos de direito e fez

sua primeira visita à Paris, encorajado pelo colega de

infância Émile Zola. Paris era o centro da arte do mundo,

e um destino importante para qualquer pintor, e por isso

Cézanne fez repitidas viagens para a capital francesa,

absorvendo muito daquela subjetividade artística graças a

sua facilidade como artista.Depois de se mudar para Paris

frequentou uma escola de arte privada (Académie Suisse).

Ele frequentou o Salão de Paris, estudou com velhos

mestres, copiou quadros de Delacroix no Louvre e se

tornou amigo de vários artistas como Edouard Manet, James McNeill Whistler, Edgar Degas, Auguste Renoir, Henri Fantin-Latour e principalmente seu colega de academia Camille Pissarro.

Em meados da década de 1860, Cézanne tinha se

estabelecido como pintor, embora com um sucesso oficial

mínimo: a ele foi negado a entrada à École des Beaux-Arts (Escola de Belas Artes de Paris) e foi excluido de várias exibições do Salão. Esta exclusão vinha devido a seu estilo de pintura radical, caracterizado pelos caminhos do corpo coberto com tintas de tom pastel aplicado com espátula, uma técnica herdada de Courbet. Além da influência deste havia uma forte presença de Manet nos início de seus estudos. Nos seus primeiros trabalhos ele usava técnicas de Courbet, aplicando camadas grossas de tinta com uma espatula. Ele posteriormente contou a Renoir que levou 20 anos para perceber que pintura não era escultura.

Sua maneira áspera era compatível com sua personalidade

provincial. Esta primeira fase da carreira de Cézanne, é

cheio de retratos macambúzios e cenasde assassinato e

estupro com forte carga emocional; ansiedade paralela com sua vida pessoal.Um local importante para a sua

experimentação e definição de estio foi uma fazenda em

sua cidade natal onde ele poderia se sentir mais livre e criar trabalhos com uma maior fluência.

Em 1863 o Imperador Napoleão III decretou a abertura do Salão dos excluidos (Salon des Refusés) que tinham de certa forma uma péssima crítica devido ao espírito revolucionário.

Em 1869 o pintor conheceu Émilie Hortense Ficquet, uma mulher que depois se tornaria sua esposa (que ocorreu em 1886, graças a morte do pai do pintor) e que teria um único filho, também chamado de Paul em 1872. Devido a guerra Franco Prussiana o pintor se muda para Provença para fugir do recrutamento. Já em 1872, o pintor foi para Auvers junto com sua família e Pissarro e começou aquela que é frequentemente apelida de fase “Impressionista” (pois seus quadros particparam das mostras impressionistas), com uma forte influência da Escola de Barbizon, especialmente Corot e Daubigny, criando um interesse na pintura ao ar livre, com maior observação do objeto e principalmente da luz. Nesta mesma década o pintor começou a pintar na cidade L’Estaque e no Golfo de Marseille, demonstrando sua maturidade.

Na década de 1880 sua pincelada se tornou mais sistemática e ordenada, selecionando os temas ele podia

estudar por longos periodos. Porém este é o período conhecido como. Outro fator importante é que ele fez sua primeira exibição solo em Paris organizada por Ambroise Vollard.

Por volta de 1890 Cézanne começa a sofre de diabetes. Enquanto isso sua obra muda e ele passa a ter uma maturidade artística completa com pinceladas eclodindo na chamada “pincelada construtiva que para ele tinha mais intencidade e solides do que os efeitos fulgais do impressionismo. Na verdade,durante esta época, toda a pintura de Cézanne se recriou e ele pintou todos tipos de quadros: paisagens, naturezas mostras, banhistas, nus retratos e auto-retratos.

Com a morte de sua mãe em 1897 a fazenda é vendida e o pintor cria um grande atelier em 1902 nascolinas de Les Lauves.

Seu último periodo foi repleto de quietude e inquietação. Cézanne morreu devido ao quadro de diabetes as 7:00 da manhã de 23 de Outobro de 1906,em sua casa em Aix. Seu trabalho apesar de não ser tão bem aceito pelo grande público é um trabalho de pintura racional. Por isso vários pintores compraram suas obras como Paul Gauguin, Pablo Picasso, Pierre Bonnard, Kazimir Malevich, Henri Matisse, e Marcel Duchamp.

Photo Graphein: Dennis Mecham

Janeiro 20, 2011

O cordel como ferramenta pedagógica contra o Bullying

Janeiro 19, 2011

A palavra Bullying é uma palavra da lingua inglesa que tem como significado: “O ato de intimidar uma pessoa mais fraca ou força-la a fazer algo”. Ainda no inglês vem do substantivo Bully que embora teve outro significado arcaicamente, traz a idéia de pessoa cruel; um criminoso; um cafetão. Porém hoje este termo é usado principalmente tratando os bullies (valentões) como pessoas crueis que intimidam as outras.

Esta prática presente nos retardados filmes americanos e uma prática de certa forma cultural, reflete um sentimento de insegurança e inferioridade que a sociedade americana e o american way of life (estilo de vida americano) cria. Os jovens inseguros de sua produção social e principalmente de perceberem que as escolas reais não trazem nenhuma nova forma de percepção tanto em sua estrutura quanto no conteudo programático (político-pedagógico, entre outros) e sem falar na falta de envolvimento em quase todos os professores e diretores para a ultrapassagem do já constituido. Isto abrem um desinteresse para com a prática escolar e uma consequente não-envolvimento dos estudantes com atividades educativas

Mas se depender de algumas iniciativas como esta esta realidade do bullying pode mudar. Esta produção que será distribuida inicialmente neste começo de ano pelo Governo de Pernambuco nas escolas e trata-se de um cordel que trabalha um pouco da humilhação, desilusão e da dor que algumas crianças são submetidas. Esta prática micro-facista é construida a partir das concepções que estes jovens fizeram a partir de suas casas, vidas e escola.  Apesar de soar um pouco como uma moralidade, a luta contra o bullying é um processo de encarar esta realidade.

 

O cordel do bullying


O cordel será distribuído nas escolas do Recife

 

BULLYING ESCOLAR:

A peleja da covardia com a senhora educação
Autores: Advs. ISAAC LUNA E INaCIO FEITOSA
I
Esse cordel tão modesto
Mas feito com consciência
Pretende sintetizar
Com clareza e eficiência
O significado de bullying
Como assédio ou violência

II
O bullying pode ocorrer
No ambiente de emprego
No parque ou no futebol
Causando desassossego
Espalhando a discórdia
A violência e o medo

III
Tem também o cyberbullying
Que ocorre no Orkut
Nos sites da internet
No twitter ou facebook
Qualquer um pode ser vítima
Seja pobre, rico ou Cult
IV
Até mesmo na escola
Lugar de cidadania
Do respeito às diferenças
Palco da democracia
Há o bullying escolar
Uma tremenda covardia

V
Isso mesmo meu amigo
Se atualize sem demora
Preste muita atenção
Ao que vou dizer agora
O Bullying também ocorre
No chão das nossas escolas!

VI
E é sobre esse último caso
Que agora vou falar
A terrível violência
Que vive a nos rodear
Principalmente a que ocorre
No ambiente escolar

VII
A discriminação é a base
Do assédio praticado
Com o intuito de humilhar
O sujeito atacado
Constranger ou meter medo
Pra deixá lo acuado

VIII
Também há o preconceito
Como chave desse mal
Seja ele de estética
Ou de classe social
De racismo deslavado
Ou de escolha sexual

IX
Apelidos humilhantes
Xingamentos raciais
Palavrões e ameaças
Atitudes imorais
Esses são alguns exemplos
Mais existe muito mais…

X
O importante é entender
Que bullying é covardia
É o ato do valentão
Praticado dia a dia
Contra aquele que é mais fraco
Ou que está em minoria

XI
A violência se apresenta
De maneira variada
Pode ser psicológica
Quase sempre com piadas
Ou então pode ser física
Na base da cassetada

XII
O resultado é a dor
E o sofrimento da criança
O afastamento social
E a perda da esperança
Pra dar basta a essa moléstia
É preciso haver mudança

XIII
Pensando nisso educadores
Preocupados com a questão
Reunidos em debate
Da Confraria da Educação
Propuseram uma lei
Pra regulamentar a questão

XIV
A Assembleia Legislativa
Do Estado de Pernambuco
Recebeu esse projeto
E depois de muito estudo
Aprovou a nova lei
Pra acabar com esse absurdo

XV
Com a Lei 13.995 de 2009
Qualquer um pode fazer
Uma denúncia contra o bullying
Na polícia ou na OAB
A um promotor de justiça
Também dito MP

XVI
Mas é bom não esquecer
Que é uma lei estadual
E é preciso unir forças
Pra torná la federal
Aprovando o seu texto
no congresso nacional

XVII
O bullying é uma vergonha
É pura contradição
É a derrota da escola
Da universidade e da nação
Diante da prepotência
Do covarde valentão

XVIII
Por isso é preciso haver
Grande mobilização
Pra não se fazer vista grossa
A essa situação
Enfraquecendo o valor
Da real educação
XIX
O professor é responsável
O coordenador também
Os pais e os alunos
Todo mundo e mais alguém
No combate contra o bullying
Não se isenta seu ninguém

XX
A OAB de Pernambuco
E a Confraria da Educação
De mãos dadas com a sociedade
Ao bullying dizem não
Em respeito à cidadania
E aos direitos do cidadão.

Texto: Advs. ISAAC LUNA E INaCIO FEITOSA
Ilustrações: Ivo Andrade
Diagramação: osvaldo morais Recife: 2010

Vai, livro natimudo,

Janeiro 19, 2011

E diz a ela
Que um dia me cantou essa canção de Lawes:
Houvesse em nós
Mais canção, menos temas,
Então se acabariam minhas penas,
Meus defeitos sanados em poemas
Para fazê-la eterna em minha voz

Diz a ela que espalha
Tais tesouros no ar,
Sem querer nada mais além de dar
Vida ao momento,
Que eu lhes ordenaria: vivam,
Quais rosas, no âmbar mágico, a compor,
Rubribordadas de ouro, só
Uma substância e cor
Desafiando o tempo.

Diz a ela que vai
Com a canção nos lábios
Mas não canta a canção e ignora
Quem a fez, que talvez uma outra boca
Tão bela quanto a dela
Em novas eras há de ter aos pés
Os que a adoram agora,
Quando os nossos dois pós
Com o de Waller se deponham, mudos,
No olvido que refina a todos nós,
Até que a mutação apague tudo
Salvo a Beleza, a sós.

Envoi – Ezra Pound


UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH

Janeiro 18, 2011
Arles, 08 de agosto de 1888

 

O ouro e seus corpos (1901), GAUGUIN


Et l’or et leur corps , Paris, Museu do Louvre (Musée du Louvre)

 

Van Gogh continua escrevendo nesta carta para falar sobre a inspiração que a natureza fornece ao pintor com suas belas paisagens (charnecas, estátuas de areia, jardins, cisternas) e comenta de alguns quadros que viu:

” Esta manhã fui a um lavadouro onde havia figuras de mulher  de formas tão largas quanto as Negras de Gauguin, especialmente uma vestida de branco-preto-rosa, e uma bem jovem, toda em amarelo. Eram bem umas trinta, velhas e jovens.”

 

Eugène-Henri-Paul Gauguin foi um pintor, gravurista e escultor francês que buscou alcançar uma expressão primitiva dos estados emocionais e espirituais em seu trabalho. A arte complexa de Gauguin tem sido dividida entre o impressionismo dos primeiros trabalhos e do Sintetismo e exótico Simbolismo. Ele é geralmente definido como uma rejeição a modernidade naturalistica, ao materialismo, aos dogmas da arte luxuosa e o ilusionismo ocidental em favor do sincretismo que ampliou o alcançe das fontes artísticas e literárias. Gauguin ainda publicou sua extensa obra escrita começando com um esboço crítico sobre cerâmicas na Exposição Universal de Paris em 1889, e terminando com características autobiográficas como em Noa-Noa.

Nascido em Paris no dia 7 de junho de 1848, o artista assim como sua irmã nasceram em paris em uma família de pais altamente letrados de classe média arte da França e Peru. A infância de Gauguin foi marcado pelo ativismo político liberal de sua família e seus laços sanguineos que ligavam o velho e novo mundo. Filho de um jornalista republicano e neto de Flora Tristan uma creole do Peru conhecida como socialista e anarquista na França.Gauguin identificava seus ancestrais como espanhois residentes do Peru que foram os desbravadores da Ilhas Marquesas e que tinha uma ascendência com o povo Inca.

Em 1849 sua família fugiu da França com medo da represália política de Napoleão III que não recebera apoio da família de Gauguin. Na viagem o pai do pintor faleceu e após isto ele passou a infância na capital peruana Lima e adolescência em Orléans. Sua mãe tinha um salário mdesto como costureira, porém a família viveu uma época rica culturalmente. Na escola ele se sente diferente de seus colegas e aos 11 anos entra no Petit Séminaire.

Ele iniciou sua carreira na década de 1860 como mercador da marinha participando da Guerra Franco-Prussiano e então em 1871 com a recomendação de seu tutor Gustave Arosa (já que sua mãe morrera quatro anos antes) se tornar um corretor da bolsa de valores com o dinheiro da família, sendo que nesta época ele começa a colecionar obras de artes de nomes como Édouard Manet, Paul Cézanne, Camille Pissarro, Claude Monet, e Johan Barthold Jongkind, além de começar a pintar. Com esta vida de ligada as finanças ele vivia bem e casou em 1873 com uma Sophie Gad, apelidada Mette, uma mulher dinamarquesa de classe-média com quem teve cinco filhos.

Suas primeiras influências na pintura são Pissarro, com quem ele trabalhou ente 1879-81. Seu treinmento artístico foi informal e limitado, porém Gauguin era incansável e independente e por isso criou novas formas estéticas. Ele começou a pintar e expor antes mesmo de ter algum treinamento. Prova disso é sua exibição no Salão de 1876 sendo que seu único estudo de pintura começou em 1880 com o mestre e fazendeiro Félix Jobbé-Duval (houve ainda seu mestre de cerâmica Ernest Chaplet em 1886). Nesta época expôs trabalhos nas últimas exposições impressionistas (1880-86), subsequentemente desenvolvendo o estilo chamado Sintetismo durante visitas à Pont-Aven na Bretagna.Em 1888 ele trabalhou brevemente com Van Gogh em Arles, em uma parceria emocionalmente tumultuosa Gauguin demonstra ser duro e egoista e Van Gogh sentimental e impulsivo. Nesta época está o fato de após uma briga Van Gogh ameaçou Gauguin com uma navalha e depois cortou sua orelha e enviado à uma prostituta. Porém estudos recentes dos historiados da arte Hans Kaufmann e Rita Wildegans afirma que Gauguin atacou Van Gogh com uma espada e cortou em um golpe a orelha do pintor. A auto-mutilação teria sido a explicação devido a um acordo para proteger Gauguin.

Gauguin enfrentou uma crescente pobreza após se perder seu emprego da bolsa de valores em 1883, após a quebra do ano anterior, o que fez ele se mudar para Rouen e se tornar um representante de vendas para um produtor de telas e onde ele pode pintar diariamente. Após se mudar durante pouco tempo para Dinamarca para casa da familia de Mette, Gauguin não consegue se adaptar e decide partir. Neste tempo ele praticou seu ativismo político se aliando em missões na fronteira espanhola para promover a causa republicana na Espanha. Abismada com a mudança de rumo sua mulher partiu com os filhos para Copenhagen, porém ao segui-la Gauguin achou a cidade incompatível, o fazendo partir para uma vida independente longe da família, apesar da correspondência que continuou até o fim da vida. Desiludido Gauguin decide viver vendendo barcos de cerâmica, mas pouco tempo depois decide de viajar por várias regiões francesas sendo reconhecido como um pintor de vanguarda e participando da escola de Pont-Aven, ele teve uma infeliz estada no Panama e Martinica devido uma doença, o fez retornar a França em 1888 e passar mais tempo em suas províncias onde teve contato com Emile Bernard que afetou sua arte profundamente. Em 1890 o trabalho de Gauguin ganhou a admiração dos Simbolistas principalmente de Stéphane Mallarmé.

Em 1891 decide viajar para Madagascar, mas muda de idéia e decide ir ao Taiti. Para isso decidade fazer uma venda pública de suas obras para angariar fundos para viagem. Mas não foi preciso. Ele partiu de Paris para a colônia francesa da Polinêsia para trabalhar como o responsável por uma missão artistica do governo francês na cidade e capital Tahiti, onde a maioria de suas pinturas mais conhecidas foram produzidas e se demonstraram muito mais poética. Sua vida na Polinésia foi marcada por problemas com as autoridades, escandalos e relações com mulheres locais que deram em mais filhos.

A rejeição de Gauguin pelo Ocidente industrializado em troca de abarcar em um paraíso terreno, em termos artísticos, repleto de artes feito a mão e artesanato como equivalente de empenho criativo. Como seu próprio ideal artista-artesão, ele produziu um abundante, corpo de trabalho fértil em múitos meios artístico, dissolvendo as fronteiras tradicionais entre arte de luxo e decoração. Ele passa a defender a “arte feita a mão” ignorando os meios mecânicos. A aparência de Paul Gauguin como o selvagem ocidental foi seu próprio toque sobre a realidade. Nenhum simples boêmio, que sua pessoa era, mas o resultado moderno do “Homem Natural” construido pelo seu ídolo, Jean-Jacques Rousseau.

Ele retornou para Paris em 1893 mas dois anos depois retornou para os Mares do Sul e em 1901 se mudou para Ilhas Marquesas, o local de sua morte em 8 de maio 1903 (cidade de Atuona onde permanece enterrado). Várias doenças, incluindo sífilis, deixaram Gauguin imobilizado durante seus últimos anos.O reconhecimento de seu talendo pelo público veio postumamente com a exibição de seus trabalhos em Paris em 1906.

Seu trabalho teve uma grande influência no Fauvismo, principalmente em Henri Matisse, quanto o uso da linha. Outro pintor que foi profundamente influênciado é o norueguês Edvard Munch, além dos expressionistas alemães como Ernst Ludwig Kirchner. Podemos ainda citar que o uso da iconografia Oceanica e a simplificação do estilo afetaram o estudante Pablo Picasso em seus trabalhos de arte africana além da evolução do cubismo.

Clique para Ampliar (Seios com flores vermelhas, 1899, MOMA)

Fotografia de Paul Gauguin

________________________________________________________________________

Às sextas e terças, esta coluna traz obras digitalizadas de outros pintores que influenciaram o pintor monoauricular Van Gogh e obras suas, mas tão somente as que forem citadas nas Cartas a Théo, acompanhadas da data da carta que cita a obra, bem como as citações sobre ela e uma pequena biografia de seu autor. Para outros olhares neste curso, clique aqui.

Paul Cézanne é um pintor francês frequentemente associado com os Impressionistas, mas ele sempre teve outras metas, sendo melhor enquadrado como Pós-Impressionista.Ele dizia que sua ambição era “fazer do Impressionismo algo sólido e durável como a arte dos museus’. Seu trabalho foi mais aceito pela vanguarda parisiense em 1890 e teve uma grande influência no cubismo na obra de Pablo Picasso e no desenvolvimento da arte do século XX.

Cézanne nasceu em 19 Janeiro de 1839 na cidade francesa

de Aix-en-Provence. Sua infância foi dominada pelo pai,

Louis-Auguste Cézanne, um banqueiro rico, e seu amigo

Emile Zola. Durante a infância ele estudou em escolas tradicionas como o Collége Bourbon.Sob pressão da família ele foi treinado para ser advogado em sua cidade natal, enquanto atendia lições de desenho na academia local (Escola de desenho livre do Musée d’Aix) em 1857.

Em 1861 Cézanne abandonou seus estudos de direito e fez

sua primeira visita à Paris, encorajado pelo colega de

infância Émile Zola. Paris era o centro da arte do mundo,

e um destino importante para qualquer pintor, e por isso

Cézanne fez repitidas viagens para a capital francesa,

absorvendo muito daquela subjetividade artística graças a

sua facilidade como artista.Depois de se mudar para Paris

frequentou uma escola de arte privada (Académie Suisse).

Ele frequentou o Salão de Paris, estudou com velhos

mestres, copiou quadros de Delacroix no Louvre e se

tornou amigo de vários artistas como Edouard Manet, James McNeill Whistler, Edgar Degas, Auguste Renoir, Henri Fantin-Latour e principalmente seu colega de academia Camille Pissarro.

Em meados da década de 1860, Cézanne tinha se

estabelecido como pintor, embora com um sucesso oficial

mínimo: a ele foi negado a entrada à École des Beaux-Arts (Escola de Belas Artes de Paris) e foi excluido de várias exibições do Salão. Esta exclusão vinha devido a seu estilo de pintura radical, caracterizado pelos caminhos do corpo coberto com tintas de tom pastel aplicado com espátula, uma técnica herdada de Courbet. Além da influência deste havia uma forte presença de Manet nos início de seus estudos. Nos seus primeiros trabalhos ele usava técnicas de Courbet, aplicando camadas grossas de tinta com uma espatula. Ele posteriormente contou a Renoir que levou 20 anos para perceber que pintura não era escultura.

Sua maneira áspera era compatível com sua personalidade

provincial. Esta primeira fase da carreira de Cézanne, é

cheio de retratos macambúzios e cenasde assassinato e

estupro com forte carga emocional; ansiedade paralela com sua vida pessoal.Um local importante para a sua

experimentação e definição de estio foi uma fazenda em

sua cidade natal onde ele poderia se sentir mais livre e criar trabalhos com uma maior fluência.

Em 1863 o Imperador Napoleão III decretou a abertura do Salão dos excluidos (Salon des Refusés) que tinham de certa forma uma péssima crítica devido ao espírito revolucionário.

Em 1869 o pintor conheceu Émilie Hortense Ficquet, uma mulher que depois se tornaria sua esposa (que ocorreu em 1886, graças a morte do pai do pintor) e que teria um único filho, também chamado de Paul em 1872. Devido a guerra Franco Prussiana o pintor se muda para Provença para fugir do recrutamento. Já em 1872, o pintor foi para Auvers junto com sua família e Pissarro e começou aquela que é frequentemente apelida de fase “Impressionista” (pois seus quadros particparam das mostras impressionistas), com uma forte influência da Escola de Barbizon, especialmente Corot e Daubigny, criando um interesse na pintura ao ar livre, com maior observação do objeto e principalmente da luz. Nesta mesma década o pintor começou a pintar na cidade L’Estaque e no Golfo de Marseille, demonstrando sua maturidade.

Na década de 1880 sua pincelada se tornou mais sistemática e ordenada, selecionando os temas ele podia

estudar por longos periodos. Porém este é o período conhecido como. Outro fator importante é que ele fez sua primeira exibição solo em Paris organizada por Ambroise Vollard.

Por volta de 1890 Cézanne começa a sofre de diabetes. Enquanto isso sua obra muda e ele passa a ter uma maturidade artística completa com pinceladas eclodindo na chamada “pincelada construtiva que para ele tinha mais intencidade e solides do que os efeitos fulgais do impressionismo. Na verdade,durante esta época, toda a pintura de Cézanne se recriou e ele pintou todos tipos de quadros: paisagens, naturezas mostras, banhistas, nus retratos e auto-retratos.

Com a morte de sua mãe em 1897 a fazenda é vendida e o pintor cria um grande atelier em 1902 nascolinas de Les Lauves.

Seu último periodo foi repleto de quietude e inquietação. Cézanne morreu devido ao quadro de diabetes as 7:00 da manhã de 23 de Outobro de 1906,em sua casa em Aix. Seu trabalho apesar de não ser tão bem aceito pelo grande público é um trabalho de pintura racional. Por isso vários pintores compraram suas obras como Paul Gauguin, Pablo Picasso, Pierre Bonnard, Kazimir Malevich, Henri Matisse, e Marcel Duchamp.

Para pintar o retrato de um pássaro…

Janeiro 18, 2011

Para Elsa Henriquez

Primeiro pintar uma gaiola
com a porta aberta
pintar depois
algo de lindo
algo de simples
algo de belo
algo de útil
para o pássaro
depois dependurar a tela numa árvore
num jardim
num bosque
ou numa floresta
esconder-se atrás da árvore
sem nada dizer
sem se mexer…
Às vezes o pássaro chega logo
mas pode ser também que leve muitos anos
para se decidir
Não perder a esperança
esperar
esperar se preciso durante anos
a pressa ou a lentidão da chegada do pássaro
nada tendo a ver
com o sucesso do quadro
Quando o pássaro chegar
se chegar
guardar o mais profundo silêncio
esperar que o pássaro entre na gaiola
e quando já estiver lá dentro
fechar lentamente a porta com o pincel
depois
apagar uma a uma todas as grades
tendo o cuidado de não tocar numa única pena do pássaro
Fazer depois o desenho da árvore
escolhendo o mais belo galho
para o pássaro
pintar também a folhagem verde e a frescura do vento
a poeira do sol
e o barulho dos insectos pelo capim no calor do verão
e depois esperar que o pássaro queira cantar
Se o pássaro não cantar
mau sinal
sinal de que o quadro é ruim
mas se cantar bom sinal
sinal de que pode assiná-lo
Então você arranca delicadamente
uma das penas do pássaro
e escreve seu nome num canto do quadro.


POUR FAIRE LE PORTAIT D’UN OISEAU

A Elsa Henriquez

Peindre d’abord une cage
avec une porte ouverte
pendre ensuite
quelque chose de joli
quelque chose de simple
quelque chose de beau
quelque chose d’utile
pour l’oiseau
placer ensuite la toile contre une arbre
dans un jardin
dans un bois
ou dans une forêt
se cacher derrière l’arbre
sans rien dire
sans bouger…
Parfois l’oiseau arrive vite
mais il peut aussi bien mettre de longues années
avant de se décider
Ne pás le décourager
attendre
attendre s’il le faut pendant des années
n’ayant accun rapport
avec la réussite du tableau
Quand l’oiseau arrive
s’il arrive
observer le plus profond silence
attrendre que l’oiseau entre dans la cage
et quand il est entré
fermer doucement la porte avec le pinceau
puis
effacer un a un tous les barreaux
en ayant soin de ne toucher aucune des plumes
de l’oiseau
Faire ensuite le portrait de l’arbre
en choisissant la plus belle de ses branches
pour l’oiseau
peindre aussi
le vert feuillage et la fraîcher du vent
la poussière du soleil
et le bruit des bêttes de l’herbe dans la chaleur de l’été
et puis attendre que l’oiseau se decide à chanter
Si l’oiseau ne chate pás
c’est mauvais signe
signe que le tableau est mauvais
mais s’il chante c’est bon signe
signe que vous pouvez signer
Alors vous arrachez tout doucement
une des plumes de l’oiseau
et vous écrivez votre nom dans un coin du tableau

Jacques Prévert de “Paroles” (1945)

Cri-ações: Edvard Munch

Janeiro 17, 2011

Os fiordes trazem a arte expressa

Linha de corte na angustia da existência

E da figura mortálica que nos versa

Um grito que sai do sufoco existente

em uma vida de devoçõoes e incerteza

 

 

Experimentações em busca de novos sentidos

Enfrentamentar as velhas estruturas insanas

que imobilizam e produzem loucuras

Pinta-se para que hajam Manhãs

Sintetismo aestético que balanceia

a própria incerteza dos rumos

Photo graphein: Elena Baca

Janeiro 17, 2011