UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH

Arles, 18 de setembro de 1888

GRANDES MESTRES DA LITERATURA

HONORÉ DE BALZAC

Van Gogh sempre foi um amante da literatura, assim como da arte. Nesta carta a Theo ele comenta suas leituras recentes::

” Prefiro muito mais Guy de Maupassant a Richepin, por ser mais consolador. Atualmente acabo de ler Eugenie Grandet, de Balzac, história de um camponês avarento.”

Honoré de Balzac foi um jornalista e escritor francês  e um dos nomes mais importante na criação do realismo na literatura. Com uma colossal produção de novelas e historietas, Balzac usou muitas delas sob o nome “A comédia humana” ( La Comédie humaine) , originado a partir do titulo Dantesco ‘A divina Comédia’. Antes de seu início como autor, Balzac escreveu sem sucesso diversas peças e romances sob pseudônimos sem sucesso. Apesar de um rendimento prolífico, Balzac viveu com dívidas. Ele foi um grande amigo de Gustave Flaubert, Alexandre Dumas, Sir. Walter Scott, e buscou inspiração em Dante Alighieri, Johann Wolfgang Von Goethe.

“…Bem , Balzac foi politicamente um legitimista: seu grande trabalho é uma constante elegia na decomposição irreparável da boa sociedade; suas simpatias são com a classe que é condenada a extinçõ. Mas por tudo isso, sua sátira nunca é mais afiada; sua ironia nunca mais amarga, do que quando ele põe em movimento aqueles mesmos homens e mulheres com que ele simpatiza mais profundamente- os nobres…” (Friedrich Engels em 1888)

Balzac nasceu no dia 20 de maio de 1799 na cidade francesa de Tours. Seu Pai, Bernard-François Balssa, nomeou seu filho depois do dia de St Honoré. Sua mãe Anne-Charlotte-Laure Sallambier, foi a filha de uma autoridade parisiense . Durante a revolução francesa os pais do escritor foram membros da Comuna, mas o pai foi transferido para Tours em 1795 onde administrou o hospital local. Em 1814 a família de Balzac se mudou para Paris.

Balzac passou seus primeiros quarto anos distante dos país, uma realidade que era bastante comum na França. Seus primeiros anos ele viveu na vila de Saint-Cyr, onde começou seus estudos sendo um estudante ordinário. Ele estudou no Collège de Vendôme e em Sorbonne, trabalhando em escritórios de direito. Em 1819, sua família se muda para Villeparisis devido problemas financeiros e Balzac declara  querer ser um escritor e por isso retornou a Paris e se instalou em um quarto desprezível no número 9 rue Lediguiéres, proximo a Bibliothéque de l’Arsenal.

Seu primeiro trabalho como escritor com Cromwell deixou sua família desanimada e contra a vontade de sua família, Balzac continuou sua carreira de escritor. Ele também tentou em vão um negócio de publicidade, comprando uma gráfica, mas ele não tinha muito à imprimir. Com o seu desastre comercial e cheio de dívidas, muitos já viam seu fracasso. Mas o sucesso para Balzac dependia de coragem e força, tendo ele energia acima de toda as ilusões (em suas próprias palavras).

Aos 29 anos Balzac, aceitou a hospitalidade do general de Pommereul e passou um tempo em sua casa na cidade de Fougeres, provínicia de Bretagne. A tranqüilidade da região lhe trouxe inspiração para seu novo romance histórico “O último Chouan”. Aos poucos seu fracasso foi-se dissolvendo. Entre 1830 e 1832 ele escreveu seis pequenos romances com o título “Cenas da vida privada”. O trabalho que foi primeiro publicado pelo La Presse e era também direcionado a leitoras.


Madame Balzac estava interessava na escrita místicas. Ela havia sobrevivido em um milagre de uma doença. Seu interesse influenciou o marido que começou a estudar os trabalhos de Jacob Boehme, Swedenborg, e assistiu as palestras de Anton Mesmer sobre magnetismo animal em Sorbonne. Estas influências foram passadas para o romance “La peau de chargin” que vendeu bastante.

Em 1833 Balzac teve uma ideia de unir seus romances emu ma grande série de livros para que os mais de 2000 personagens que tinha criado auxiliasse a compreender toda a sociedade. Com uma compreensão das formas de relação da sociedade e da ignóbil vida da burguesia a Comédia Humana de Balzac foi organizada a partir de diversos livros como A Mulher de Trinta Anos, La Fille aux yeux d’or, Eugénie Grandet , Le Contrat de mariage, Le Père Goriot , Les Illusions perdues. Paris se torna o pano de fundo destes romances que mostram a velha aristocracia, a nova riqueza financeira,  as trocas da classe-média, servos, criminosos, intelectuais. Em suas histórias ele envolvia

“Balzac sempre falou de seus personagens como um fenômeno natural, e quando ele queria descrever suas intenções artísticas, ele nunca falava de sua psicologia, mas sempre de sua sociologia, de sua história natural da sociedade e da função da vida individual no corpo social. Ele se tornou, de alguma forma, o mestre do romance social, se não o doutor das ciências sociais como se autodescrevia, mas como o fundador de uma nova concepção de homem, de acordo com “o indíviduo só existe em relação com a sociedade.” (Arnold Hauser em História Social da Arte, vol. 4, 1962)
Le Père Goriot de 1835 traz uma história adaptada de o Rei Lear  de Shakespeare com um estudo pessimista da sociedade burguesa pós-revolução. A cidade é um dos personagens e tem uma linguagem e vontade própria. Os melhores livros de Balzac foram publicados por Gervais Charpentier  em um novo formato.
Balzac trabalhou com frequência em Saché, próximo de Tours, assim como em Paris. Na maior parte do tempo Balzac costumava escrever 14 à 16 horas por dia, bebendo grande quantidado de café expresso parisiense. Depois da janta ele dormia algumas horas, acordando a meia noite e escrevendo até de manhã.Apesar de sua dedicação às artes,  Balzac tinha tempo para casos amorosos e apreciava a vida. Há relatos que Balzac era um bom vivant, devorando centenas de ostras e costelas de carneiro.
Balzac viajou por vários países e teve muitas amantes , com quem ele casou posteriormente. Em 1837 viajou para Itália, e depois para Ucrânia em 1848.Balzac viveu seus últimos anos em sua vila em Sèvres.Ele morou com Madame de Berny. Com a morte dela Balzac sofreu um grande abalo. Porém Balzac continuou com seus casos que só diminuíram quando casou com Madame Hanska e se mudaram para Paris, que foi o local de sua morte pouco tempo depois em 18 de Agosto de 1850. Em seu funeral Victor Hugo disse: “Hoje nós o vemos em paz. Ele escapou de controvérsias e inimizades. Daqui em diante ele brilhará distante sobre aquelas nuvens que flutuam sobre nossas cabeças, entre a mais brilhante estrela de sua terra nativa. ”

Sua influência na história da literatura é indiscutivel tendo ele influenciado grandes mestres como Marcel Proust, Émile Zola, Charles Dickens, Fyodor Dostoyevsky, Edgar Allan Poe, Jack Kerouac, William Faulkner GustaveFlaubert, Henry James, Machado de Assis, Camilo Castelo Branco,  Ítalo Calvino, Eça de Queiroz e inspirado pensadores como F. Engels, Roland Barthes, Walter Benjamin, François Truffaut Daí Sijie entre outros

Auguste Rodin- Busto de Honoré de Balzac
________________________________________________________________________

Às sextas e terças, esta coluna traz obras digitalizadas de outros pintores que influenciaram o pintor monoauricular Van Gogh e obras suas, mas tão somente as que forem citadas nas Cartas a Théo, acompanhadas da data da carta que cita a obra, bem como as citações sobre ela e uma pequena biografia de seu autor. Para outros olhares neste curso, clique aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: