Archive for Outubro, 2011

Photo graphein: Andre Cypriano

Outubro 31, 2011


Anúncios

Histórias das músicas brasileiras

Outubro 30, 2011

Uma das mais importantes compositoras que o Brasil já conheceu. Primeiro por ser a primeira mulher a encarar  e se eleger a uma Ala dos Compositores de uma escola de samba. Segundo pois com sua humildade e vivências é uma mulher ativa e solta em seus versos produtivos. E por fim pois compõe não só sambas, mas afetos alegres sendo a eterna madrinha do samba brasileiro.

Esta é Dona Ivone Lara que desde os 12 anos compõe e produz uma existência alegre e com uma vontade de saber e fazer.  Com mais de 300 composiçõe e conhecida em bastante conhecida na Europa, Japão e Africa, Dona Ivone transbordou sua escola e se tornou madrinha de diversas gerações de sambistas que continua até hoje.

————————–———————-———————————-——–———————–

Nasci em Botafogo, Rio de Janeiro, Rua Voluntário da Pátria no ano de 1921. Não deixa estar, o que é que tem… não tá bom, vou dizer já que tem… (nasci em) 17 (risos)…. Pronto. Olha na Rua São Clemente eu me lembro muito pouco por que quando eu saí da Rua São Clemente, ali do Voluntário da Pátria, do Bairro Botafogo eu tinha apenas 4 anos e já não me lembro de nada, nada, nada.

Já era órfã de pai e minha mãe era muito moçinha ainda. Nós fomos morar no Largo da Segunda Feira na Tijuca e lá eu tinha um primo por nome de Valentino, o fuleiro já era rapazinho, Hélio, o Tio Hélio que era criança também. Tem muita coisa, naquele tempo eu era bem criança.

Naquela época uma música que eu me lembro bastante que o Francisco Alves cantava “Por que sofres tanto assim rapaz, chega já é demais… se é por causa de mulher é bom parar”, tinha uma porção de música naquela época. “Esta mulher a muito tempo me provoca, dá nela, dá nela.” Era música daquela época…

Olha minha mãe cantava muito, ela era uma soprano com uma voz muito bonita modéstia a parte e minha mãe era crooner do Ameno Rezedá. Minha mãe saia num rancho (Flor de Abacate). Ela cantava uma música muito bonita. O que sei do meu pai tocava violão de sete cordas e saia no bloco dos Africanos lá na Vila Isabel que só saia homem. Pixinguinha e Jacó do Bandolim não saíam da casa do meu tio, Dionísio Bento da Silva, que era músico e de vez enquando a gente fazia parte e cantava também, aprendíamos a cantar.

Alí na Serrinha tinha o Jongo e criança não entrava em Jongo, por que Jongo é uma dança mística, uma religião de muito respeito. A Tia Tereza quando ia pro dia do Jongo, fazer uma coisa maior, eu pedia: Tia Tereza deixa eu ir…. pois gostava de ver os velhos dançar o jongo, elas botavam aquelas saias rodadas, mas e o respeito que tinha e eu adorava vê-los cantar e o batuque.

A minha mãe depois conseguiu um internato para mim na Escola Orcina da Fonseca, pertencia ao Orfeão Artístico de lá. Fui aluna de Lucilia Guimarães Villa-Lobos e  com dona Izaíra de Oliveira, casada com o compositor Donga. Nós éramos criados por umas solteironas que era só rezar e meter um monte de coisas na cabeça da gente que eu tinha um medo de homem que me pelava. Eu cantava na escola, mas nunca pensei em ser cantora. Tanto que optei por fazer a faculdade de enfermagem quando terminei o 2º  grau.

Eu começei no samba… nem sei se dizer se comecei, pois quando eu nasci tava todo mundo já sambando e resolvi também sambar… Eu já vivia naquele meio, tinha parentes que eram compositores, me levavam pra sair no bloco, eu saia. Agora mais tarde eu não tive oportunidade de pertencer logo a escola de samba, por que havia um preconceito na minha família, viu. Eu tinha uma tia que achava que a escola de samba era marginalizada.

Eu só pude aparecer no samba mesmo de 47 em diante, que com minha tia era uma censura que só você vendo. Ela não admitia samba e eu criado por ela, já era órfã de pai e mãe não podia aparecer de jeito nenhum. Eu fazia meu sambas, o (Mestre) Fuleiro levava pra Serrinha e eu continuava a incógnita. Agora acontece que em 1947, foi a coisa mais engraçada da minha vida, eu vim me casar com o filho da escola de samba Prazer da Serrinha, aí eu saí na Escola.

A COMPOSITORA DONA IVONE LARA

A primeira música que eu fiz foi em homenagem a um pássaro que eu ganhei e eu era muito muleca e não tinha boneca, não tinha nada disso, então eu tinha meu primo Fuleiro que eu amava, era um irmão que eu tinha na época então todas as vontades ele me fazia. Ele caçava muito passarinho e uma vez ele saiu e quando ele voltou, ele voltou com um tiê-sangue e disse assim: Ô prima, Vona, como ele me chamava, e disse olha aqui, olha a sua boneca e eu fiquei numa alegria que só vendo. Dalí eu comecei a fazer versinhos pro tiê. E ele disse está bem, então vou ser teu parceiro nisto aí. Agora o pessoal lá em casa usava o passarinho de chantagem comigo, por que eu era muito levada e então qualquer coisinha eles prometiam soltar o meu tié…. Até que um dia soltaram mesmo, viu. Então fiz uma música pro tiê

Aí um dia o Délcio telefonou pra mim e eu disse: Olha, vem cá que eu estou com uma música que está aqui mais de uma semana na minha cabeça e você vem aqui pra nós completarmos esta composição. Ele foi lá em casa, aí eu cantei pra ele a composição e disse: Agora já está tudo muito bem. Ele disse assim: Não, a senhora já está me dando letra…. – Mas como estou te dando letra ?… É que hoje estou inspirado… A única coisa que quero que você ponha é que “sonho meu vai buscar quem mora longe, sonho meu”. Aí foi quando ele fez “Sonho Meu”. Eu ia pra casa de Rosinha de Valença (grande violonista) e a gente brincava, eu cantava e Rosinha me pediu então esta música pra Maria Bethania gravar e não tinha ninguém gravando e eu disse pode levar. Aí deixei com Rosinha de Valença e ela acompanhou e quando fez uma semana pra surpresa minha ligo o rádio e Maria Bethania estava cantando junto com Gal Costa.

IMPÉRIO SERRANO

Eu fui pro Império Serrano pois com a desistência da Serrinha fez com que eu fosse pro Império Serrano. E meu sogro foi convidado logo em seguida pra ser presidente da Império Serrano e ele deu dois carnavais à Império Serrano… primeiro lugar e todo mundo se mudou pra lá.

Foi quando Fábio Melo, grande jornalista, ficou me conhecendo e vendo minha atividade aquelas coisas todas e me disse por que você não faz parte da Ala dos compositores ? Eu digo, é tou aí… Em 1965, o Império Serrano ficou assim ó: Mangueira, Portela, Unidos de Luca, este pessoal todo foi lá pra conhecer a mulher que pertencia à ala dos Compositores fazendo Samba Enredo.

Pra mim desde o dia que fui pra Ala das Baianas em 1965, pra mim me realizei. Por que estava na Ala dos Compositores, fui madrinha dos compositores, estas coisas… Mas aí isto fica sendo, e ninguém aceita então fui convidado para destaque e eu fiquei nesta Ala até hoje(…) Só que hoje é tudo diferente, agora não é escola de samba, é bloco de embalo. Por que antigamente era escola de samba, e agora não, você tem 80 minutos pra parar (terminar) e você tem impressão que é um boi indo pro matadouro.

Olha é de momento, eu não me sento pra fazer uma música. Muitas vezes eu até estou fazendo na cozinha uma coisa e outra e vêm aquela intuição, aquela melodia gostosa e eu aproveito sento e boto no gravador.

Eu não tenho tristezas, eu passo por cima, pois Graças a Deus tenho esta força para que eu pudesse enfrentar tudo que eu passei na vida. E até hoje curto a juventude e me sinto jovem. Ser sambista a gente se diverte, diverte os outros e é uma coisa que eu acho ótimo na vida, me sinto realizada.

Eu tenho orgulho de ser negra. Nos últimos tempos, o racismo vem diminuindo. O pessoal já está compreendendo que essa história é bobagem. Inteligência todo mundo tem. Todo mundo nasce com potencial. Não tem branco. Não tem preto. O pessoal vai apanhando e vai vendo que do mundo nada se leva. Somos todos iguais e temos as mesmas capacidades.

Trecho transcrito primeiro dos programas MPB Especial-Ensaio, entrevistas sendo uma da revista Raça.

Dona Ivone Lara e conjunto (com o apadrinhado compositor Jorge Aragão no banjo) durante a gravação do programa Água Viva.

Dona Ivone Lara foi a grande atração do Projeto Pixinguinha-1980

Moacyr Luz beija a mão da rainha (que junto com a Quelé Clementina são parte viva de nossa história)

Antonio Vieira, Ivone Lara e Riachão

Dona Ivone Lara é louvada por diversos artistas, sendo que alguns não são de se louvar também

Notas suadas

Outubro 29, 2011

  • Este ano ainda o U2 pretende relançar uma nova  do álbum Achtung Baby de 1991. Porém em uma entrevista a revista Rolling Stones o engajado Bono levantou a possibilidade da banda terminar ano que vem em frases como “Nós estariamos felizes em terminar com No Line on the Horizon (nome do último álbum)”. Segundo ele as bandas devem se reinventar e este é um processo difícil, e por isso “é provavel que você ouça de nós no ano que vem, mas é igualmente possivel você não ouça mais de nós”. O fim estará próximo?

 

  • O Pelourinho será hoje (29) a partir das 18:30 o palco de mais um evento que incentiva a cultura brasileira em mais uma edição do Futurama – Música e Intervenção Ambiental, shows e video mapping no Pelourinho. Quem participa e anima a festa é a banda de rock paraense Madame Saatan, além do soteropolitano Julio Caldas e Choro Rock,  e os cariocas do Baia).

 

  • Começa na próxima sexta-feira (4) a 20ª edição do Festival Panorama que ocorrere no Rio de Janeiro mais terá este ano uma etapa em Brasilia. O festival que envolve dança, teatro, artes plásticas e ativismo começa com um espetáculo estrangeiro Rosas, da Bélgica. Haverá ainda uma retrospectiva com quatro trabalhos do coreógrafo João Saldanha, a presença de Colin Dunne da Irlanda, The Theatreworks de Cingapura, A Companhia Coreografica Marroquina, o infantil Vice-versa de Victor Hugo Pontes (de Portugal), os teatrais A margem e 3 solos em 1 tempo e muitos outros. Haverão oficinas produtivas como o projeto com.posições. políticas e o Errosista. O festival vai até o dia 20 em vários lugares, confira…

 

  • São Paulo será palco de mais uma edição do Festival Contemporâneo de Dança  que acontece a partir desta terça (1) no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB-SP) e na Galeria Olido, indo até o próximo dia 13. Na programação grupos como Taoufiq Izeddiou (Marrocos), Paz Rojo (Espanha), Eszter Salamon (Alemanha/Hungria), Michelle Moura (Paraná), Ana Oliver e Natalia Burgueño (Uruguai) e Marcelo Gabriel (Minas Gerais). Confira a programação e entre na dança.

  • Um grande músico que foi João do Vale, merece ser recordado sempre e por isso acontece somente hoje e amanhã (29 e 30) no Teatro da Caixa Econômica Federal na Asa Sul, Brasília, a cantoria “Na asa do vento: João do Vale cantado e contado”, com direção de Inez Viana, música de Xangai e Rita Ribeiro e intervenções no palco do ator Flavio Bauraqui. Eles mostrarão a trajetória de vida e a obra do maranhense João do Vale, e autor de sucessos como O canto da ema, Carcará e Pisa na Fulô, A voz do povo e Peba na Pimenta.O espetáculo também conta com projeção de vídeos e fotografias. E vai ter forróforrado…Ingressos populares entre 20 e 10…

 

  • A capital do Piauí, Teresina, receberá somente neste fim de semana no Ginásio Verdão o espetáculo “Meu Amigo, Charlie Brown” que tem pela primeira vez montagem em português e é a versão nacional do famoso musical da Broadway “You’re a good man, Charlie Brown”. Com os personagens do desenho Snoopy de Charles Schultz o espetáculo conta um dia na vida dura de Charlie Brown. Preços importados…

 

  • O Sesc Boulevard de Belém do Pará apresenta hoje (29) um musical em homenagem ao grande sambista Nelson Cavaquinho que teria 100 anos. Nas cordas violonescas e cavaquinhescas Yuri Guedelha e Sarau Brasil. O pagode rola no fundo do quintal as 19 horas.

 

  • O Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional( Iphan) do Rio autorizou a “Rio Parada Funk” que acontecerá neste domingo (30)  na Avenida Presidente Vargas funkeando e sampleando o domingo carioca que não vive só de samba, birita e praia.

  • Um dos mais importantes gravuristas brasileiros está com uma mostra na Caixa Cultural do Distrito Federal: “Carlos Oswald: o resgate de um mestre” traz 70 gravuras realizadas pelo artista pioneiro nas primeiras décadas do século 20. Ele foi o grande precursor da história e ensino da gravura no Brasil. A visitação fica até o dia 20 de Novembro.

 

  • A cantora de Marisa Monte lançará seu novo disco na segunda, mas já está rolando pela internet uma música “O Que Você Quer Saber de Verdade” para download gratuito como aperitivo (ou entrada), faixa que abre e dá nome à nova produção. Além disso dá pra dar uma rapidinha e ouvir os 30 segundos de cada faixa..

 

  • Depois de Amy Winehouse ter partido e deixando apenas os vestígios de seu gogó maravilhoso, finalmente foi terminada a autópsia e revelado o motivo da morte. A causa em si não tem grande importância pois não produz nenhuma novidade (já que sabemos da morte) e pois não muda o fato de Amy estar viva em sua produção. Porém a midia não alcança que mesmo a causa sendo a ingestão de álcool isto não importa, pois só podemos compor com a produção de Amy.

Mário Peixoto

  • Nesta sexta (4) o Itaú Cultural em São Paulo propõe um debate com  Carlos Augusto Calil, Ismail Xavier e Stella Senra sobre o pioneiro cinema brasileiro “Limite” de Mario Peixoto e o seu processo de restauração. E no próximo fim de semana o Auditório Ibirapuera exibe, pela primeira vez no Brasil, a mais completa cópia restaurada do filme, feita pela Fundação Martin Scorsese e pela World Cinema Foundation com apoio da Cinemateca Brasileira. A projeção será acompanhada da execução ao vivo de uma trilha sonora original, composta pelo renomado pianista norueguês Bugge Wesseltoff para a primeira exibição da cópia restaurada. Além de Bugge Wesseltoff, estarão presente Rodolfo Stroeter, Naná Vasconcelos, Ola Kvernberg e Marlui Miranda.

 

  • O Ministério da cultura lançou uma pesquisa e avaliação nacional sobre os indicadores nacionais para atividades culturais. A mostra pretende analizar os preços que são repassados ao consumidor pelos produtores culturais e ver se o valor são justos e correspondentes aos gastos. Que o maior beneficiado seja os espectadores.

 

  • O Cine São Luiz de Recife que resurgiu das profundezas agora vai trazer de lá uma retrospectiva do cineasta americano Stanley Kubrick. O evento será parte do Festival Janela de Cinema que começa na sexta (4) e vai até o dia 13 traz a obra completa dos longas do diretor, em cópias de 35mm e em cinema digital DCP, via equipamento de projeção especialmente instalado. Dentre eles Laranja Mecânica (1971), cuja cópia restaurada em 4K foi apresentada no último Festival de Cannes, e também outros como A Morte Passou por Perto, O Grande Golpe, Glória Feita de Sangue, Dr. Fantástico, 2001: Uma Odisséia no Espaço. A Janela do recife ainda contará com mais de 150 cinemas incluindo novidades como O garoto da bicicleta dos irmãos Dardenne, Mãe e Filha de Petrus Cariry e o francês A guerra está declarada.

 

  • Depois de ser lançado o Big Four de Metallica, Megadeth, Slayer e Anthrax, união de bandas em uma super banda fez sucesso, outro supergrupo promete mandar a ver como os Classic Four. Então vamos a chamada: Judas Priest. Presente. Iron Maiden. Morreu. Black Sabbath. Presunto. e Motorhëad. Oh yeah… Eles estão vendo a possibilidade de criar um mega grupo… Mas ainda não é certo e somente Ian Hill e Rob Halford do Judas Priest confirmaram. Só o futuro dirá, mas que venha as velhas guitarras.

  • A cantora e compositora paraense Iva Rothe estará em dois palcos de Belém neste final de semana. Ela canta hoje (29) como convidada especial do show dos 40 anos do cantor, compositor e amigo Henry Burnett, no Teatro Cláudio Barradas, e no domingo, no palco na Praça D. Pedro II. A cantora que já rodou o Brasil esteve com a irmã Dorothy Stang seis dias antes de sua morte, e ouviu que ela deviria cantar a música para todo o nosso povo. Ela ainda canta…

 

  • Um dos mais inovadores cineastas da atualidade o iraniano Mohsen Makhmalbaf estará no Brasil nesta segunda na UFRGS em Porto Alegre às 19h30 pelo projeto Fronteiras do Pensamento. Infelizmente não há mais disponibilidade de ingressos, mas quem estiver por lá não custa tentar.

 

Um documentário de Sílvio Tendler… Nos cinemas

UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH

Outubro 28, 2011
Londres , 20 de julho de 1873

Remando no Sena (c.1870) , HEILBUTH




Rowing (boating) on Siene,Moscou, State Museum of New Western Art

Van Gogh que está em Londres, após falar de grandes mestres, fala de pintores contemporâneos que estão em Londres como o francês Otto Weber:
“Além disto, entre os velhos pintores, Constable, um paisagista que morreu há uns 30 anos atrás, é esplêndido, com alguma coisa de Diaz, de Daubigny; e Reynolds, e Gainsborough que pintara sobretudo retrato de mulheres, e ainda Turnerde quem você deve ter visto algumas gravuras.
Existem aqui alguns bons pintores franceses, entre eles Tissot… Otto Weber e Heilbuth.

Ferdinand Heilbuth foi um pintor e esbocista alemão que se naturalizou francês em 1876. Com uma habilidade principalmente na pintura, ele produziu quadros que se tornaram famos como “A chegada do Cardinal”, “Pensamentos distantes”, “A aula de música”, “Lendo”, entre outras.

Nascido em Hamburgo no dia 27 de junho de 1826, Heilbuth veio de uma família judáica e fez estudos para ser um rabino mas desistiu para se tornar artista. Começou sua carreira com cenas inspiradas no Renascimento italiano e com pinturas históricas.

Suas visitas e estudos em Munique, Düsseldorf, Anvers e Roma, lhe levaram à Paris onde descobriu o atelier  de um dos mais influentes pintores da França, Marc-Charles-Gabriel Gleyre (ou Charles Gleyre), no ano de 1847. Seu estilo de pintura foi consagrado ao pintar os costumes burgueses e populares, além de pinturas românticas. Sua primeira exposição foi no Salão de Paris em 1853, onde posteriormente expôs diversas obras.

Ele foi concecorado do os títulos franceses de “Cavaleiro da Legião de Honra” em 1861 e “Oficial da Legião de Honra” em 1881 (Chevalier/officier de la Légion d’Honneur).

Heilbuth morou em Roma no período de 1865-1875 onde observou com proximidade o Vaticano e a Corte Pontícife. Durante seu tempo, ele foi frequentemente referido como “o pintor de cardeal”. Mais de trinta trabalhos de observação da vida eclesiástica foram o resultado.

Na Guerra de 1870 ele foi para Londres e quando teve sua maior inspiração em Turner. Mesmo sendo um grande admirador de ostentosas cenas históricas, sobre a inspiração de Turner, ele procedeu pintando paisagens e além disso foi um grande mestre de retratos.

Ele teve uma exibição importante em Londres na Academia Real (onde já fora convidadado par expor em 1858 e 1861) em 1871. Além disso ele exibiu trabalhos na Boston Atheneum nos Estados Unidos em 1863. Ele exibiu também seus quadros em dezessete ocasiões na Grosvenor Gallery. Seus trabalhos posteriores exibiram seu interesse na expressão da luz e da atmosfera, embora ele não desenvolveu um estilo impressionista.

Ele morreu no dia 19 de novembro de 1889 em Paris. Em uma carta Van Gogh escreveu para seu amigo, Anthon Van Rappard, e mencionou o quanto admirava a habilidade de pintar de Ferdinand Heilbuth. E que gostaria de se reunir com os dois para pintar.

Emile Zola em “Le Salon d`Honneur” escreveu:

 “L’Antichambre, do Sr. Heilbuth, é uma das páginas mais espirituais deste fim satírico. Que alegre volume fazemos ao reunir os quadros deste malicioso israelita que vinga com golpes de alfinetes as iniqüidades seculares do Guetto!

Hoje, ele se diverte em pintar o embaraço de um pobre abade romano, emaciado e escavador, na antisala de uma eminência. O cardinal está sem dúvida ocupado, a audiência se faz esperar, o abade, sentado em uma dura poltrona, tem seus papeis sobre seus joelhos. Atrás dele, um lacaio gordo da casa, se apóia familiarmente sobre o arquivo e conversa, conversa com a liberdade de um amigo que se sente em casa. O pobre abade não sabe deste comportamento. De uma parte ele deve ter sua posição, pois é mais superior que este homem. Mas de outro lado, ele tem algum desdém mais presente que pode lhe fazer um inimigo. Contudo, a benevolência do lacaio não é a se desdenhar em uma cidade como Roma. Ele escapa então, ele sorri; por nada ele se humanisaria a ponto de responder. Mas se a porta se abrisse! Se alguém o surpreende-se em delito flagrante de baixa popularidade! Adeus os projetos do futuro! O pobre abade não seria jamais o magistrado ou o prefeito! Sr. Heilbuth exprimiu com muito tato as angústias deste amo em dificuldade. A fisionomia do abade é uma das mais curiosas que jamais foram pintadas antes. Quanto ao gordo lacaio, é um tipo. Ele representa por si só a minoridade deformada e degradada que se alimenta de farinha, curvada nas costas, ri grosseiramente, e demanda ao bom Deus, depois de beber, que o mundo romano continue sempre como ele vai.”

 

Rudolf Lehmann- Retrato de Ferdiand Heilbuth (1868) Londres, British Museum (Museu Britânico)

Ferdinand Heilbuth- Jardins do Vaticano( 1870) Coleção Privada

______________________________________________________________

Às sextas e terças, esta coluna traz obras digitalizadas de outros pintores que influenciaram o pintor monoauricular Van Gogh e obras suas, mas tão somente as que forem citadas nas Cartas a Théo, acompanhadas da data da carta que cita a obra, bem como as citações sobre ela e uma pequena biografia de seu autor. Para outros olhares neste curso, clique aqui.

Kinemasófico: Garoto Cósmico

Outubro 28, 2011

Neste kinemasófico dominical a festa foi a produção de um encontro visual e estéticos para criação de outras imagens a partir da inspirante animação nacional que teve a participação do grande c-a(n)tor cearenser Belchior que faz a voz e dá uma cantada junto com Vanessa da Matta e Arnaldo Antunes. Trata-se da animação brasileira

O GAROTO CÓSMICO




Título Original: Garoto Cósmico

Ano: 2007

Diretor: Alê Abreu

País: Brasil

Duração : 75 minutos

Sinopse (Resumo da História do Filme) : Em um universo no futuro onde existe diversos planetas dois irmãos, Cósmico e Maninho, moram no Planeta das Crianças onde cada um tem um relógio e como as outras crianças tem que seguir todas as regras da programação. Há hora para tudo e eles devem seguir as ordens e decorar todos conceitos ganhando pontos para se tornar uma criança-adulta. Porém eles acabam após um dia repetitivo eles acabam se perdendo no espaço e descobrem o planeta do Circo Giramundo. Lá não há regras a seguir e  a única atividade é brincar e produzir. Mas será que eles vão suportar ficar da programação para sempre e fugir dos mostros já constituidos?

_____________________________________________________________________________________________________

O Kinemasófico é um vetor cinematográfico que a Afin realiza todos os domingos à boca da noite, contando com um curso artístico (teatro, cinema…), sempre com a apresentação ao final da atividade de um cinema. Mais informações, clique aqui.

Photo graphein: Edward Curtis

Outubro 27, 2011

East Mesa Girls (1922)

Tréplicas, réplicas…

Outubro 26, 2011

Réplica: Yojimbo, o guarda-costas (Akira Kurosawa, 1961)

Tréplica: Por um punhado de dólares- Per Un Pugno Di Dollari (Sérgio Leoni, 1964) baseado em Yojimbo

UM CURSO DESEJANTE PARA VAN GOGH

Outubro 25, 2011
Londres , 20 de julho de 1873

Retorno da Igreja, Cena bretã (c.1870) , OTTO WEBER





Retour d’église, scène bretonne,Lille, Palais des Beaux-Arts

Van Gogh que está em Londres, após falar de grandes mestres, fala de pintores contemporâneos que estão em Londres como o francês Otto Weber:
“Além disto, entre os velhos pintores, Constable, um paisagista que morreu há uns 30 anos atrás, é esplêndido, com alguma coisa de Diaz, de Daubigny; e Reynolds, e Gainsborough que pintara sobretudo retrato de mulheres, e ainda Turnerde quem você deve ter visto algumas gravuras.
Existem aqui alguns bons pintores franceses, entre eles Tissot…Otto Weber

Carl Emil Otto Weber foi um pintor e gravurista alemão (principalmente com água-forte) do século XIX. Foi conhecido como um artista cosmopolitano pois trabalhou e tornou seus trabalhos conhecidos por toda a Europa. Durante sua carreira se tornou especialista em cenas pastorais e assuntos e temas da vida e do folclore  bretão.

Nascido em Berlin em 1832 ele estudou artes primeiramente com Schüler Von Steffeck em Berlin, e posteriormente em Paris com o retratista e pintor histórico Thomas Couture. Ele começou sua carreira artística em Paris recebendo medalhas no Salão de Paris em 1864 e 1869. Em 1870, a Guerra Franco-Prussiana levou Weber ao estrangeiro, primeiro para Milão e Roma e  posteriormente Inglaterra à pedido da Rainha Victória (graças a sua nacionalidade alemã), onde ele se tornou o principal pintor no Corte da Rainha e se estabeleceu em 1872, permanecendo em Londres durante todo o resto de sua vida. Porém ele vez ainda diversas viagens para Cornwall, as Terras altas da Scotland,a Itália e região tirolesa, no intuito de pintar as paisagens de outros lugares.

Entre 1874 e 1888 ele produziu um bom número de paisagens que ele mostrava anualmente na Academia Real e também em lugares como a Velha Sociedade de Aquarela (Old Water-Colour Society) e a Galeria Grosvenor. Dentre estes trabalhos expostos estão o “Retrato de H.H. Príncipe Christian Victor de Schleswig-Holstein “ e um “Retrato dos Skye Terriers da Rainha Vitória” Ele também ganhou uma grande fama como grande mestre de pintar animais e também pela produção de paisagens, imagens temáticas, e cenas de caças feitas na sua região: Brignall House, Greville Road, St John’s Wood .

As cenas rurais detalhadas e belamente executadas por Weber, refletem seu treinamento acadêmico em Berlin e Paris.

Ele morreu em Royaume-Uni , Londres no dia 23 de dezembro de 1888.

AS IMAGENS ABAIXO FORAM REDUZIDAS, CLIQUE PARA AMPLIAR

Otto Weber- Os Skye Terriers da Rainha Vitória (1874)

Otto Weber – Paisagem nas montanhas com vacas (Berglandschaft mit Kühen an der Tränke)

Otto WeberA Balsa (The Ferry-boat)

______________________________________________________________

Às sextas e terças, esta coluna traz obras digitalizadas de outros pintores que influenciaram o pintor monoauricular Van Gogh e obras suas, mas tão somente as que forem citadas nas Cartas a Théo, acompanhadas da data da carta que cita a obra, bem como as citações sobre ela e uma pequena biografia de seu autor. Para outros olhares neste curso, clique aqui.

Photo graphein: Boris Kossoy

Outubro 24, 2011

 São Paulo, 1970

Lulu de Metallica e Lou Reed disponível para audição e download

Outubro 22, 2011

Só foi se envolver com um cara engajado no rock e nas práticas sociais como Lou Reed que o Metallica finalmente está mudando. É só lembrar que há poucos anos atrás a banda se mostrava entre as mais reacionárias do mundo do metal e do rock, ao lutar contra o Napster e a distribuição de música em mp3 durante anos(que agora no Estados Unidos, baixa-las deixa de ser crime segundo a suprema corte).

O Metallica nunca se envolveu em discussões sobre a musica como libertação e revolução da internet pela música, então imagine questões menos sociais. Pareciam não estar fluindo como o metal. Eram os alienados da música sendo que o Calypso no Brasil dava de dez neles.

Agora a coisa mudou e o metal está fluindo. O álbum Lulu que registra a parceria entre Metallica e Lou Reed já pode ser ouvido e baixado via streaming. A própria banda que disponibilizou as faixas para audição e “Lulu” pode ser ouvido na íntegra.


O álbum só será lançado oficialmente em pouco mais de uma semana no dia 31. Ele é baseado em uma peça de 1913 de Frank Wedekind sobre a vida de um dançarino. Então meus colegas vai baixando seu streaming pra poder ouvir o novo Lulu sem pagar nada e sem ninguém tomar satisfação.

Tamos nesta com Metallica e Lou Reed.