UVA: Carménère

carmenere-grande

Dando uma continuidade  sobre series sobre o mundo Dionísio(uvas), vamos falar sobre umas das uvas mais emblemáticas de uma País chamado Chile, uva Carménère.

Essa uva de origem da França, começou ser cultivada de no século XIX, na região de Medoc. Nos anos de 1860 as videiras europeias sofreram com o ataque de um inseto chamado filoxera, que afetava a videira pelas folhas e raízes sugando sua seiva. Essa praga devastou quase todos os vinhedos da Europa.

Muitos achavam essa uva foi extinta pelo inseto filoxera, mas foi novamente plantada pelo francês, chamado Jean-Michel Boursiquot, que ele fez experiências com  cepas de merlot demoravam a maturar. Ai foi atraves desse resultados de estudos realizados concluíram que se tratava na realidade da antiga variedade de Bordeaux, carménère, cultivada por engano como se fosse a merlot. Aí resultado dessa experiência e muito estudos viram essa uva emblemáticas deu ótima composição entre terroir chileno com temperaturas agradavel e equilibro pra uva Carménère. Nome Carménère quer dizer de sua pele de tom forte de carmim que sempre acaba transferindo aos vinhos com ela elaborados. https://i0.wp.com/vinepair.com/wp-content/uploads/2014/01/chile-wine-carmenere.jpg

As principais características da Carménère no visual, aromas e gustativo são: uva possuem cor rubi com reflexos violáceos e lágrimas na taça apresenta lentas e rápidas(depende do produtor que produz a uva), aromas de frutas vermelhas maduras, pode apresentar toque de pimentão, e as vezes até baunilha,  terra úmida e especiarias com notas vegetais que vão se suavizando na medida em que amadurece em barricas de carvalho francês e americanos na própria planta. Em boca apresenta taninos macios, são sedosos e aveludados e acidez equilibrada. Podem envelhecer dependendo como foi produzido vinho cada vinícola, se fores vinho no termo Reserva ou Reservado  dura em média a 3 a 4 anos são vinhos jovens pra ser tomados rápidos. Lembrando temos Reserva tem uma qualidade maior temos Reservado devido maneira que foi produzido.

Harmonizações com essa cepa da Carménére com comida pode variar desde algo como entradas como queijos não muito forte, uma pizza(sendo bem encorpada no preparo e com molhos bem estruturado), carne seca com molho de abóbora, carne bovina feita no churrasco e massas tenha molho estruturado. 

Temos vinhos e vinícolas existia vários vinhos no mercado desde custo-benefício até preço alto. Nesses tempos tomei dois vinhos ótimos Chilenos que são: Santa Helena Reserva 2011 e Chono Carménère 2012 (cortes de uvas como syrah e petite syrah) são vinhos dão essa própria características da uva. Esses dois é fácil encontra no mercado. Dou dica site muito bom, fácil e seguro pra compra de vinhos é Wine.com, http://www.wine.com.br.

Na próxima series uvas, vamos fala da uva Pinnot Noir.

Aproveita que é tempo de carnaval toma boas taças de vinho de maneira Dionísica.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: