VIVA O VINIL! “PAULO CÉSAR PINHEIRO”

P1000460

Saca só, vinilesquizofílico! Uma bolacha duplamente crioula histórica. Uma, porque se trata de um dos mais talentosos compositores e cantores da Música Popular Brasileira. Outra, porque a bolacha crioula reúne uma plêiade de músicos dos melhores artistas da estética musical.

Gravado em 1980, esse vinil, Paulo César Pinheiro, além de mostrar a obra do próprio carrega em contiguidade e contato verdadeiras feras do universo musical brasileiro. Para compor essa bolacha crioula, Paulo César Pinheiro, marido da bela, sensível e afortunada musical, Clara Nunes, encadeou fluxos musicais com Tom Jobim, Baden Powell, Eduardo Gudin, Maurício Tapajós, Sivuca, Ivor Lancellotti, Mauro Duarte, Dori Caymmi, Guiga e João Nogueira. É molhe, meu? Coisa de louco! Um verdadeiro fluxo esquizo.P1000462

E mais, vinilesquizofílico! Todos esses camaradas tiveram participação ativa na luta de resistência artística contra a ditadura civil-militar implantada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985. Apesar da repressa, todos permitiram que os fluxos libertários fossem segregados por suas músicas e interpretações.

Mas, deixemos de delongas e vamos ao texto escrito pelo próprio Paulo César Pinheiro para narrar o processo de criação, suas parcerias e seu projeto. Manda, Pinheiro!P1000459

“Este disco contém três aspectos importantes de minha vida profissional. Primeiro, a ideia de mostrar os vários caminhos pra onde a poesia me leva na música de cada parceiro com que costumo compor e que pretendo continuar num volume dois com os que aqui não aparecem por falta de espaço. Segundo, a participação de cada um deles nas suas respectivas faixas, tocando, arranjando ou cantando, nos dando assim um mosaico dos grandes compositores, e das vozes mais diversas e estranhas de nossa música popular. E terceiro e definitivo o Brasil. O Brasil musical de cidade e sertão que corre em minhas veias.

Sertão da seca do Norte, Cariri, Paraíba. Terra de meu pai, caboclo e seus antepassados índios e negros. Sertão da Mata. Do sul. Dos montes verdes, litorais e serras. De Angra dos Reis terra de minha mãe e de meu pescador avô e seus ancestrais brancos e índios. E os subúrbios da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, onde nasci e me criei em suas esquinas e praças, ruas e botequins. Este Brasil que aqui está Villa-Lobos disse um dia, não com as mesmas palavras, mas com esse sentido: quanto mais a gente penetra no coração de nossa terra mais a nossa música se universaliza. A partir desse raciocínio é que eu existo.

E agradeço demais de coração aos parceiros amigos que tanto me ajudaram pra que tudo isso pudesse ser feito. Ao Tom que gravou um dia ante de viajar para os Estados Unidos. Ao Baden e ao Gudin que vieram de São Paulo na maior boa vontade e ainda tocaram nas faixas de outros. Ao Sivuva que entre um show e outro arrumou um tempo pra gravar a sua. Ao Mauro, ao Ivor e ao Guiga que tiveram muitas vezes ao meu lado nesse mês de gravação me dando uma força. Ao Maurício que sem pestanejar lá estava quando eu o precisava. Ao João que chegou de Angola quase que direto pro estúdio. E ao Dori de valiosíssima colaboração fazendo quatro arranjos regendo um e tocando na de Tom e cantando comigo.

Minha eterna gratidão a todos e contem sempre com esse poeta no que eu puder e souber fazer”.

                                              Paulo César Pinheiro

P1000463 P1000465 P1000464LADO – A

Pelas Ruas da Cidade/Minha Esquina/Mesa Redonda/Jogo de Angola/Mãos Vazias/Mãe África.

LADO – B

Toada Brasileira/Quadrão/Estrela da Terra/Estrela-Guia/Matita Peré.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: