VIVA O VINIL! “TESTEMUNHO”, DE LUIZ DUARTE

P1000587

Aí, vinilesquizofílico, mais uma verdadeira relíquia! Joia raríssima para é chagado em uma bolacha crioula que abalou o coreto da indústria fonográfica que oprimia os músicos nos velhos e tristes tempos em que o músico quase não tinha direito de gravar o que lhe convinha como arte-musical.

Luiz Duarte mostra como era um verdadeiro suadouro gravar uma bolacha crioula fora das imposições dos barões da indústria fonográfica. Mas ele não desistiu, e com ajuda de alguns companheiros, como ele mesmo mostra na apresentação de seu vinil, conseguiu produzir sua obra raríssima que, com todo respeito, poucos a possuem. E entre os poucos, esse Esquizofia.

Luiz Duarte criou o selo Alambique, muito sugestivo aos dionisíacos, e em 1979, gravou sua abolacha crioula com letras e músicas originalmente suas. E que também contou com sua Direção Geral e Produção e arranjos juntos com Marcelo Bonfim.

Mas leiamos e analisemos o que o próprio Luiz Duarte escreveu sobre a batalha para gravação da bolacha crioula e seus agradecimentos. Leiam o quanto tem de fera nesse agradecimento. Leiamos também sua dedicatória especial. “Dedico este disco à preciosa atriz Edith Ponce”.P1000589

”Depois de mais de um ano ligado a esta produção, a “bolacha crioula” foi concluída. Ela representa a necessidade de registrar, pelo menos, três anos de trabalho que antecederam o ano de 1978, pelo fato de estar procurando novos caminhos na minha música.

Sua produção foi muito dificultada pela completa falta de recursos, e só consegui porque pessoas maravilhosas me deram a mão, o braço,… o coração.

Obrigado Frank, Gonzaguinha, Burnier, Cartier, Grupo Maria Déia, Álvaro, Glória Rocha, Noni Geiger, Sula Danowski, João Jerônimo, Alexandre, Alberto, Dila Meus irmãos, Airton Maciel, Martha Costa, Antônio Zcorza, Naise, Gaúcho, Juvenal, Marcio, Chiquinho, Francisco Mário, Aurélio de Simone, Carlos Augusto, Vivian, Alice Drumond, Carmen, Wilton Montenegro, a todos que tocaram e cantaram comigo, e a Calico, que deu coragem para a “loucura”.

                                                                          Luiz Duarte

LADO – A

Testemunho n°2/Capoeira/Semente/Amanhecer/Erva Daninha n°2/Deformação.

LADO – B

Solo Hay/Canção do Trabalho/Água Benta/Recordando/Asas do Tempo.P1000591 P1000592

MÚSICOS

Anízio: Percussão. Arnaldo Buzack: Percussão. Beto Saroldi: Sax Tenor e Flauta. Chico Moreira: Contrabaixo Acústico e Violão de 12 Cordas. Cibele: Percussão. Jaquinho: Cello e Percussão. João Luis: Berimbau e coro. Luiz Duarte: Violão, Charango, Piano, Percussão e Coro. Marcelo Bonfim: Flautas e Percussão. Paulo Lacerda: Contrabaixo Elétrico e Paulo Sérgio: Clarinete e Percussão. Edith Ponce:Coro. Guilherme Santana: Coro.

Capa: Noni Geiger e Sula Danowski.

Fotos de Contracapa: Wilson Montenegro.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: