VIVA O VINIL! PARCELADA MALUNGA – ELOMAR E ARTHUR MOREIRA LIMA

P1010358Olhem aí, esquizovinilfílicos! Estamos no ano de 1980, no Teatro Pixinguinha, em São Paulo, para participar da gravação do espetáculo “Parcelada Malunga” dos extraordinários músicos Elomar Figueira e Arthur Moreira Lima com as participações dos não menos extraordinários Xangai, Heraldo do Monte e Zé Gomes. O espetáculo é dirigido pelo engajado e ilustre Fernando Faro.

P1010359Essa histórica relíquia bolacha-crioula tem a produção de Marcus Pereira, a assistência de produção de Fábio Pereira, a direção artística de Marcus Vinicius, a técnica de gravação de Egídio Conde, a mixagem de Vice-Versa e as fotos de capa de Wilson Chumbo. A produção e a distribuição é da Marcus Pereira Rio do Gavião.

P1010360 P1010361Sem perca de tempo-literário, vamos à apresentação da joia raríssima por Marcus Pereira.

“Talvez, pela primeira vez na história da música popular brasileira, tenha ocorrido um encontro como este disco registra. Igualmente ocupantes do mesmo largo território da cultura popular do Brasil. Arthur Moreira Lima e Elomar encontravam-se, aparentemente, em limites opostos.

O ex-auto exilado Arthur Moreira Lima, uma dos maiores e mais conhecidos pianistas eruditos do mundo, fixou-se, afinal, na sua terra, amarrado pelo encanto mágico de Ernesto Nazareth, cuja obra registrou magistralmente em quatro discos, entre os mais vendidos discos de piano solo em todo mundo. E Elomar, cuja linguagem sub-dialetal encontrou eco nas multidões, nas quais é nítida a presença do jovem, ou pela intuição da brasilidade comum, ou pela leitura dos glossários que acompanham seus discos, ou ainda, e principalmente, pela genial musicalidade que suas mãos calejadas pelas rudes tarefas da caatinga, conseguem extrair do seu violão.

O fato é que Arthur e Elomar pela fraternidade suprema da Arte. Uma legria muito particular que tenho é ter promovido esse encontro. No mais, não me atrevo a fazer qualquer previsão sobre sua importância artística e cultural, sob a suspeição de contemporâneo e testemunha da história”.

                                                                      Marcus Pereira

P1010362 P1010363Leiamos agora a dedicatória de Arthur Moreira Lima a Elomar em seu disco Arthur Moreira Lima Interpreta Ernesto Nazareth.

“Ao cavaleiro Elomar este recado muito parecido com a caatinga. Vem lá das planícies da Polònia, trazido por um humilde carioca admirador da arte iluminada de Elomar e Chopin”.

Arthur Moreira Lima

Setembro de 1970

Agora, leiamos a dedicatória de Elomar a Arthur Moreira Lima em seu disco Na Quadrada das Águas Perdidas, que foi distribuído por Discos Marcus Pereira.

!Cavaleiro Arthur,

tendo você se feito paladino e mensageiro do canto aldeanesco, com humildade, passo às suas mãos estas cartas catingueiras, cantos leigos, coisas de nossa terra, dirigidas a todos aqueles que, sem tréguas, não descansam e se estremecem em meio ao sono, com o gemido distante das almas sofredoras.

E, por nisso falar, na casa do meu pai, no São Joaquim, eu menino, nas horas tardias do minguante, no terreiro brincando com meus irmãos, não percebia, às vezes, a presença antiga dos fantasmas de Castro Alves e Chopin. Éramos três amigos e talvez, quem sabe, a sombra de um quarto cavaleiro por lá também rondava.

Respeitosamente”

Elomar

Outubro de 1979

P1010364 P1010365VIVA O VINIL!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: