Salão do Livro Político promove debates sobre a atual crise brasileira

Evento que será realizado de 1 a 3 de junho no CCSP reúne os filósofos Marilena Chaui e Vladimir Safatle, os juristas Fábio Konder Comparato e Alysson Leandro Mascaro, entre outros participantes.

por Xandra Stefanel

Entre quarta e sexta-feira (1º a 3), a segunda edição do Salão do Livro Político reúne no Centro Cultural São Paulo, na capital paulista, dezenas pensadores e autorespara discutir a atual crise brasileira. Além da reflexãosobre os vários aspectos do ambiente político nacional, oevento também promove apresentações culturais, exibição de curtas-metragens e uma feira de livros que reúne 25editoras que oferecem descontos de até 50% em suasobras.

A programação traz debates, mesas redondas e sessões de autógrafo que devem reunir filósofos, sociólogos, economistas e políticos para refletir sobre o que se passa hoje, a ascensão da agenda conservadora, questões de gênero e raça, sobre a ditadura civil-militar e a crise que levou ao impeachment de Fernando Collor de Mello. Entre os nomes já confirmados para o evento estão os filósofos Marilena Chaui e Vladimir Safatle, os juristas Fábio Konder Comparato e Alysson Leandro Mascaro, a ex-presa política Amelinha Teles, o economista Marcio Pochmann e o jornalista Luis Nassif, entre outros.

Também serão debatidos o papel da imprensa nesta crise e o importante contraponto das mídias independentes, o movimento estudantil contra a reorganização escolar, a ascensão do teatro político, a emergência dos autores da periferia na literatura, o desempenho do mercado do livro político no Brasil e a questão da Palestina.

“A ideia de criar o Salão do Livro Político surgiu da urgência em ampliar o debate político, renovar interpretações da nossa realidade e apontar alternativas na contracorrente dos discursos conservadores, das narrativas tradicionais e da onda reacionária que assolam o país. ‘O avesso do avesso do avesso do que rola aí’ foi o lema adotado por editores vinculados às humanidades e que dão o tom não apenas à composição do acervo de livros oferecidos ao público, mas também aos nomes selecionados para as mesas de debates, homenagens e tudo o mais que acontece no salão. Em tempos de neomacarthismo, quando há no país um clima de ódio fomentado pelo conluio de juízes, políticos golpistas, colunistas de jornais e o oligopólio midiático que promoveram um golpe de Estado, esse espaço de reflexão será muito bem-vindo”, afirma Ivana Jinkings, idealizadora e coordenadora-geral do Salão do Livro Político.

ChauíA programação será aberta na quarta-feira (1º) com a exposição Escudos Literários do Book Bloc, com capas de livros políticos clássicos e que sofreram censura ao longo da história. Das 12h às 14h, a Sala Adoniran Barbosa sedia o debate “Escolas de luta – O movimento dos estudantes contra a reorganização escolar”. Das 16h às 17h30, no Teatro Jardel Filho, a militante do Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT) Diana Assunção, coordena uma mesa redonda sobre a questão de gênero nos dias atuais e, no mesmo local, Fábio Konder Comparato, Marilena Chaui e Vladimir Safatle participam da mesa redonda “Que democracia?”, das 19h às 20h30.

Na quinta-feira (2), das 14h às 16h, o debate é sobre literatura periférica, e das 19h às 21h, a mesa redonda “O impeachment de 1992 e o golpe de 2016” reúne Marcio Pochmann, Ciro Gomes, Alysson Leandro Mascaro e Carina Vitral no Teatro Jardel Filho. Os destaques do último dia de evento, 3 de junho, são as mesas redondas “O futuro da mídia independente”, “O mito da democracia racial” e “Leituras do Brasil de hoje”.

Para Ivana Jinkings, o evento é uma forma de luta para preservar as conquistas dos últimos anos e de combater o obscurantismo trazido pelo governo ilegítimo de Michel Temer. “Não podemos imaginar a livre circulação de ideias em outra ordem que não seja a da diversidade democrática, sem a qual editoras independentes correm o risco de desaparecer. Em um governo ilegítimo, marcado pelo obscurantismo, vender livros e ideias poderá ser um negócio de risco. Somaremos forças com os que resistem em favor da cultura, da educação e de uma base institucional progressista; contra a perda de direitos trabalhistas e retrocessos de conquistas dos últimos anos. O projeto “Uma ponte para o futuro” rompe o pacto da redemocratização e suprime qualquer possibilidade de desenvolvimento pela próxima década. Neste momento grave da vida nacional, o silêncio significa conivência e, por isso, o II Salão do Livro Político não se furtará à contenda e espero que nas salas e auditórios ecoem fortes, nos três dias de evento, as palavras de ordem: ‘Fora Temer!’”.

O II Salão do Livro Político é organizado pelas editoras Alameda, Anita Garibaldi, Boitempo, Caros Amigos, Cortez, Filoczar, Iskra e Sundermann. Confira a programação completa no site do evento.

II Salão do Livro Político
Quando: de 1 a 3 de junho, das 11h às 22h
Onde: Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1000, São Paulo (SP)
Mais informações: (11) 3397-4002/ www.salaodolivropolitico.com.br

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: