PERIFERIA VAI ÀS RUAS CONTRA TEMER COM O SLOGAN: “ORGANIZAR OS DE BAIXO PARA DERRUBAR OS DE CIMA”

3471007e-dfff-497a-9ace-96ac281c60e3

Movimentos sociais e coletivos das periferias de São Paulo, principalmente de Campo Limpo e Osasco, estão realizando seu primeiro Fora Temer com o slogan: “Organizar os de Baixo para Derrubar os de Cima”.

O Fora Temer da periferia tem alguns sinais diferentes das outras manifestações realizadas no Brasil, mormente nas grandes capitais, desde a implantação do golpe idealizado, elaborado e executado por indigentes parlamentares, mídias acéfalas capitalistas e parte do judiciário.

Enquanto essas manifestações contam com muitos representantes da classe média protestando contra o golpe em si, a periferia se manifesta contra o golpe, mas ligado principalmente às realidades cruéis de seus cotidianos como moradia, insegurança, saúde, educação, racismo, homofobia, violência contra as mulheres, entre outros, que foram aumentados com a realização do golpe ao tirar antigas garantias.

A forma que esses militantes moradores da periferia fazem uso para manifestarem seus protestos contra o ilegítimo Temer é a cultura expressada pela música, grafite, poesia, teatro, fotografia e dança. Tudo de forma mais radical.

“Na periferia, esse ato tem um tom mais radical. É na periferia que mais se sofre com os cortes nas políticas sociais, com a homofobia, com o machismo, o racismo que este governo também fomenta e estimula através de suas figuras públicas. A periferia não reconhece esse governo como legítimo.

A periferia, na nossa opinião, ainda não para a rua. Porque, se tiveram grandes atos – e é verdade – esses atoa poderiam ser ainda maiores com mais negros, mais mulheres se a periferia fosse às ruas. E a periferia vai às ruas por um projeto radical, porque ela precisa de mudanças radicais. Por isso, as periferias são Fora Temer e hoje é só o primeiro ”, observou a integrante do Movimento Luta Popular, Helena Silvestre.

Para o coordenador do Movimento Luta Popular, Avanilson Araújo, o Fora Temer tem como impulso a questão da moradia, já que já apresentado pelos golpistas uma mudança na política de moradia que vai atingir duramente as famílias.

“Em Osasco, a gente vem de uma ocupação, que já vai completar três anos, que estava avançando para uma negociação. Agora o proprietário acabou de pedir a reintegração, com o cumprimento da liminar novamente. Na nossa avaliação isso tem a ver com a falta de perspectiva de que os programas de moradia vão seguir com esse governo.

Onde tinha acordo, não vai ter mais acordo. Vai ter mais despejo, mais violência e vai ter um aumento de conflito social no país”, afirmou Avanilson.

Veja, ouça o vídeo e torne mais consistente sua consciência política-cultural

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: