LONGA ‘RIFLE’ ESCANCARA EFEITOS DO AGRONEGÓCIO NO EXTREMO SUL DO PAÍS

Realidade
Ficção de Davi Pretto acompanha Dione, jovem misterioso que trabalha em uma pequena fazenda que está prestes a ser vendida para um fazendeiro rico. Filme estreia nesta quinta (3) no Vitrine Petrobras
por Xandra Stefanel, especial para RBA.
 

Rifle é um filme sobre violências não só físicas mas também a violência silenciosa do capitalismo expansionista

São Paulo – Silencioso, introspectivo e violento, Rifle, novo filme de Davi Pretto, estreia nesta quinta-feira (3) em várias cidades brasileiras pelo projeto Vitrine Petrobras, que leva aos cinemas nacionais obras que retratam a cultura do país e se destacam em festivais. O longa-metragem conta a história de Dione (Dione Avila de Oliveira), que vive na fazenda de uma pequena família numa região rural e remota do extremo sul do país. Ele namora a filha do patrão e trabalha como peão, cuidando do gado, das ovelhas e da propriedade.

Tudo está em paz até que o representante de um fazendeiro rico aparece dizendo que pretende comprar aquelas terras. Dione, ex-militar, sem família e que já é de pouquíssimas palavras, vai se fechando cada vez mais em seu mundo. Ao sair com seu rifle pelos campos, acaba se encontrando com uma lenda dos pampas: Mariano, temido ladrão de gado que parece fazer justiça com as próprias mãos. “A coisa não é fácil. Pra adquirir alguma coisa, não é fácil para o homem que nasce pobre. Hoje, é assim: ao redor, só tem um dono e esse dono vai até a Serrilhada, tudo é dele. (..) Por ele ser tão ‘pobrezinho’ assim é que vou me aproveitando e botando o meu gado pra dentro. Estou certo ou errado?”, Mariano pergunta a Dione.

RODRIGO MIGLIORIN/DIVULGAÇÃODione
Davi: ”Rifle’ é um filme sobre identidade num interior esvaziado, pós-êxodo rural, no extremo sul do Brasil’

O longa-metragem foi filmado em Vacaíqua, Serrilhada, Val Feltrina e Dom Pedrito, região do Rio Grande do Sul que faz fronteira com Uruguai. Todo o elenco é composto por pessoas que realmente moram naquela área. “Rifle é um filme sobre identidade num interior esvaziado, pós-êxodo rural, no extremo sul do Brasil, que força todos a perseguirem uma mesma vida urbana. Por isso, acaba sendo também um filme sobre violência, não só física e direta, mas a violência silenciosa do dia a dia, do capitalismo expansionista sem limites, da relação homem e máquina, da ideia de vencer na vida e ser alguém útil”, afirma Davi Pretto, que lançou em 2014 o filme Castanha, sobre o transformista João Carlos Castanha.

O cenário, lindamente captado pela fotografia de Glauco Firpo, evidencia os contrastes sociais e a centralização de terras, que passam ao espectador a real sensação de isolamento e insegurança que atingem os poucos pequenos proprietários da região. Isso faz com que, em certos momentos, o filme tenha ares de western. “Eu quis explorar uma mistura de gêneros como explorei em meu primeiro longa, mas com uma abordagem diferente. Em Castanha, os atores interpretam eles mesmos, em uma narrativa de drama e crime, enquanto em Rifle, os moradores da região interpretam personagens e uma história que não é a deles, mas poderia ser, em uma narrativa entre road moviewestern e suspense. Uma jornada impulsiva, angustiante e destrutiva”, aponta Pretto.

Rifle é um filme com pouquíssimos diálogos e sem pressa alguma de se revelar ao espectador. É exatamente por isso que as imagens e o som ambiente acabam contando mais sobre Dione, as pessoas e a situação daquela região do que as poucas (e por vezes incompreensíveis) palavras daqueles gaúchos de forte sotaque.

Exibido no Festival de Berlim deste ano, o longa de Davi Pretto ganhou os prêmios de Melhor Filme do Júri da Crítica, de Melhor Roteiro, Melhor Som do Festival de Brasília 2016, o Grande Prêmio do 18º Jeonju International Film Festival, e Melhor Filme do 12º Panorama Internacional Coisa de Cinema.

O lançamento faz parte do Sessão Vitrine Petrobras, que traz ao público um filme por mês, sempre com ingressos a preços reduzidos (até R$ 12) e horários fixos em cinemas de 20 cidades brasileiras. Consulte as salas e horários de exibição no site do projeto.

CartazRifle
Direção: Davi Pretto
Elenco: Dione Avila de Oliveira, Evaristo Goularte, Andressa Goularte, Elizabete Nogueira, Livia Goularte, Francisco Fabrício Dutra dos Santos e Sofia Ferreira.
Produção e produção executiva: Paola Wink
Roteiro: Davi Pretto e Richard Tavares
Direção de fotografia: Glauco Firpo
Direção de arte: Richard Tavares
Montagem: Bruno Carboni
Desenho de som: Marcos Lopes e Tiago Bello
Produtora: Tokyo Filmes
Coprodutores: Autentika Films, Casa de Cinema de Porto Alegre e Gogó Conteúdo Sonoro
Distribuição: Vitrine Filmes

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: