PORTAL FÓRUM: REGGAE VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL DA UNESCO

Bob Marley, seu maior expoente, vendeu cerca de 200 milhões de cópias pelo mundo

Foto: Divulgação

O reggae entrou para a lista de Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco. A resolução foi anunciada na última quarta-feira (28). O site da Unesco destaca que o gênero musical surgiu na década de 60, num espaço cultural de grupos marginalizados, principalmente no oeste de Kingston, capital jamaicana.

O ritmo, uma mistura de ska, r&b, rockabilly, rock and roll entre outros ritmos do caribe e do mundo, rapidamente tomou a Jamaica e, posteriormente, o mundo. Reza a lenda que a quebrada tradicional do reggae se deve à dificuldade que os habitantes da ilha tinham em ouvir a música americana, que chegava cortada através das ondas distantes das rádios. A maneira própria como passaram a tentar reproduzir o rock and roll teria originado o reggae.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

O seu maior expoente é o músico, cantor, compositor e guitarrista Robert Nesta Marley, conhecido por todos como Bob Marley. Criador de inúmeros sucessos com letras politizadas, entre eles “Redemption Song”, “Get Up, Stand Up”, “Zimbabwe”, “Africa Unite” entre outras, Marley vendeu cerca de 200 milhões de discos ao redor do mundo

Mas o reggae não vive apenas de Bob Marley. Outros músicos também ganharam fama mundial, como Peter Tosh, Jimmy Cliff, Linton Kwesi Johnson, Eddy Grant, a banda The Wailers, Sly Dunbar & Robbie Shakespeare entre muitos outros.

No Brasil, o ritmo ganhou notoriedade com nomes como Gilberto Gil, um de seus maiores entusiastas, que chegou a gravar o álbum “kaya na Gandaia”, só com composições de Marley. Além dele, outros grupos como Cidade Negra, Tribo de Jah, Natiruts, Edson Gomes, Chimarruts entre outras também se especializaram no ritmo.

Um dos primeiros reggaes gravados no Brasil é “Nine Out of Ten”, de Caetano Veloso, de seu álbum “Transa”, gravado em 1972, durante o seu exílio, em Londres. Caetano e Gil tomaram contato com o ritmo em Porto Bello Road, uma rua do bairro Notting Hill, em Londres, que, na época, contava com grande concentração de jamaicanos.

Outra canção precursora do reggae no Brasil é “Negra Melodia”, de Jards Macalé e Wally Salomão, gravada por Macalé no seu álbum “Contrastes”, de 1977 e, posteriormente, por Itamar Assumpção, no álbum “Ás p´roproas custas S/A”, de 1981, outro grande entusiasta do ritmo.

A Unesco destaca que os jamaicanos aprendem a tocar o ritmo já nas escolas. Festivais como como Reggae Sumfest e Reggae Salute também são vistos como oportunidade de estudo e transmissão do conhecimento para futuros artistas e músicos.

O reconhecimento do reggae como patrimônio cultural leva em consideração a contribuição para a discussão internacional sobre questões como a injustiça, a resistência, amor e humanidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: