Posts Tagged ‘teatro’

USP inicia nesta quinta primeira Bienal Internacional de Teatro

Outubro 31, 2013

Da Agência Brasil

De hoje (31) a 15 de dezembro, a primeira Bienal Internacional de Teatro da Universidade de São Paulo (USP) vai mostrar como o tema Realidades Incendiárias – surgido a partir das recentes mobilizações mundiais – se traduz nos palcos. Na lista de peças vindas do exterior estão produções do Líbano, Argentina, Cisjordânia, Eslovênia e Tunísia. De acordo com a curadoria da mostra, os espetáculos se destacam pela ousadia em desafiar padrões estéticos vigentes.

“O tema escolhido [Realidades Incendiárias] tem o sentido tanto de entender o palco como uma realidade transformadora, quanto [de entender] como ela é retratada por esse palco. Foi aí que chegamos a esses países, onde os conflitos são, infelizmente, ainda presentes”, explica Celso Frateschi, diretor do Teatro da USP (Tusp). Ele reforça que o olhar para seleção dos espetáculos foi, sobretudo, artístico. “A curadoria não teve nenhuma preocupação em atender a algum tipo de demanda comercial existente.”

Para a diretora teatral Deise Abreu Pacheco, integrante da curadoria da mostra, uma das discussões propostas pela bienal será o próprio enquadramento das produções em uma categoria. “Não são espetáculos o que a gente vai mostrar. É difícil nomear. São, na verdade, experiências muito radicais que tratam de questões da vida dessas pessoas”, disse. Os curadores acreditam que, ao assistir a todas as apresentações, o público terá experiências diferenciadas. “Nenhuma é contemplativa, mas a forma como isso se dá é variada”, complementou Ferdinando Martins, vice-diretor do Tusp.

A mostra será aberta às 14h, no Tusp, com o 66 Minutes in Damascus, do diretor libanês Lucien Bourjeily, inédito no Brasil. Com sessões seguidas para apenas oito pessoas de cada vez, o espetáculo levará o público a uma imersão cênica que propõe a experiência próxima à realidade de um turismo de guerra. A produção foi composta a partir do relato de jornalistas estrangeiros e ativistas locais sobre os centros de detenção sírios. Os turistas, que são os próprios espectadores, são presos pelo serviço secreto do país.

Outra atração internacional é a peça argentina Mi Vida Después (foto à esquerda), da diretora Lola Arias. O espetáculo promove o encontro de seis atores nascidos na década de 1970 com a juventude de seus pais a partir de fotos, cartas, fitas, roupas e memórias. Da Cisjordânia, o diretor Gary M. English traz o espetáculo The Island, que reconta a história do apartheid. Serão apresentados ainda os espetáculos estrangeiros Damned Be Traitor of His Homeland! (Eslovênia/Croácia); e Macbeth – Leila and Ben: a Booldy History (Tunísia).

Quatro espetáculos nacionais completam a programação da bienal. No dia 5 de novembro, às 20h30, o grupo Desvio Coletivo discute, na peça Pulsão, a motivação da vida por meio de jogos relacionais e de cenas que operam no limite entre o teatro e a performance. “O roteiro surgiu quando estava em um hospital vivendo uma situação limite “, contou Marcos Bulhões, diretor-geral do espetáculo. Ele considera positivo que a mostra selecione apresentações que fujam do apelo comercial. “Acreditamos que o espaço pedagógico permite esse tipo de ruptura.”

O diretor do Tusp aposta que essa independência comercial, tendo em vista que todo o financiamento é da USP, será um diferencial da mostra em relação a outros festivais. “Como universidade, o que nos caberia fazer? Achamos que não seria correto que fôssemos para uma disputa de trazer o espetáculo mais importante do mundo. Nosso olhar foi tentar colocar questões que, pela característica dos festivais existentes, não se consegue colocar. Abrir essa questão estética”, justificou Frateschi.

A programação nacional terá também os espetáculos BadenBaden, do Coletivo Banal de Florianópolis (SC); Arqueologias do Presente: a Batalha da Maria Antônia, da diretora Cristiane Zuan Esteves (SP), e Outro Lado, dirigido por Assis Benevenuto, Ítalo Laureano, Marcos Coletta e Rejane Faria, de Minas Gerais. A mostra conta ainda com atividades gratuitas de conferências, workshops e minicursos que podem ser conferidas no endereço www.usp.br/bienaldeteatro.

Festival Internacional de Bonecos traz atrações de nove países para Brasília

Outubro 22, 2013

Da Agência Brasil

Continua hoje (22) o 12° Festival Internacional de Bonecos de Brasília, que tem objetivo cultural e educativo e conta com a participação de oito estados brasileiros e nove países. “O objetivo é dar acesso às pessoas que não têm condições de pagar, que não tem acesso à cultura, e ensinar sobre arte e cultura de outros países também nas escolas públicas do Distrito Federal”, disse a organizadora do evento e mentora do projeto Ana Zilda Fontes Barbosa.

O festival, que começou ontem (21) será realizado em três etapas. A primeira vai até o dia 30 de outubro com apresentações no Teatro Nacional, na Universidade de Brasília, em parques da cidade e em escolas de tempo integral de cinco regiões administrativas do Distrito Federal (DF): Estrutural, Samambaia, Guará, Planaltina e Ceilândia.

A segunda etapa do festival será realizada de 5 a 8 de novembro, com apresentações nos hospitais Materno Infantil de Brasília, Sarah Kubsticheck, da Criança de Brasília José de Alencar e no hospital de Apoio de Brasília. A terceira e última etapa será entre 18 e 29 de novembro, em escolas de mais quatro regiões administrativas do DF: Brazlândia, Paranoá, Varjão e Itapuã.

A coordenadora pedagógica da Creche Pioneira da Vila Planalto, Clévis Darley, levou hoje (22) ao Teatro Nacional, 42 alunos.”As crianças, quando lidam com o lúdico, a assimilação é muito maior, eles se encantam. É importante que eles participem desses eventos até para criar a cultura de vir ao teatro e proporcionar essa experiência a estas crianças, que não têm muitas oportunidades”, disse.

O evento, que é tradicionalmente o maior do mundo no gênero, em número de apresentações, traz aos palcos de Brasília, grupos do Ceará, Distrito Federal, de Pernambuco, da Paraíba, do Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e de São Paulo. Além dos grupos brasileiros, participam companhias de nove países: Espanha, Argentina, Chile, Peru, Colômbia, República Tcheca, Itália, México e Cuba.

Os organizadores do festival estimam público de mais de cem mil pessoas, das quais três mil só no Teatro Nacional. O evento é uma realização das secretarias de Estado da Cultura e da Educação do DF, em parceria com a Associação Ruarte de Cultura.

Escritor, teatrologo Ariano Suassuna passa bem após infarto

Agosto 23, 2013

Ariano Suassuna literatura armorial auto da compadecida a porca preguiça do reinoApós sofrer um infarto na última quarta-feira o precursor do Movimento Armorial do Recife, o pernambucano Ariano Suassuna, conhecido por obras literárias e teatrais como A pedra do Reino, O santo e a porca, O auto da compadecida etc, passa bem.

Sendo um dos nomes mais importantes da cultura popular em pernambuco, as obras de Suassuna deram origem a um movimento sociocultural nos anos 70, quando foram formados o Quinteto Armorial (de onde surgiram Antônio Nóbrega e Antônio Madureira) a Orquestra Armorial do maestro Cussy de Almeida, que por sua vez deu origem ao Orquestra de Cordas Dedilhadas de Pernambuco.

De acordo com o boletim médico do Real Hospital Português em Recife, o escritor e teatrólogo amante da vida está “clinicamente estável e seguindo protocolo clínico de rotina [com um] comprometimento cardíaco de pequenas proporções”.

De acordo com os responsáveis, o produtivo artista que conta com uma existência cronológica de 86 anos está “consciente, conversando com a família e bem-humorado”. Atualmente, o artista Suassuna vem realizando uma série de “aulas-espetáculo” por todo o país, já tendo passado por Recife, Fortaleza, entre outros lugares.

Conto do escritor João Guimarães Rosa é adaptado para o teatro

Agosto 2, 2013

Foto: Agência Brasil

Em uma versão nunca antes ousada o conto “Esses Lopes” de João Guimarães Rosa está em cartaz no Centro cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro com sessões de quinta a segunda às 17 horas até o dia 1º de setembro.Haverá ainda sessões extra nos dias 24, 25, 31 e 1º, às 17h.

A história da peça, intitulada Maria Miss, se passa no sertão de Minas Gerais onde a sertaneja Flausina perde sua infância ao ter a virgindade leiloada pelos pais. Ao se tornar escrava consegue mudar sua história e buscará o afeto triste da vingança.

Além de ser o primeiro conto de Guimarães Rosa enviesado pelo olhar e voz do feminino, a história foi lançada no ano da morte do escritor, 1967. A adaptação para o teatro foi feita por Evill Rebouças e a direção do espetáculo é de Yara de Novaes.

A peça tem ingressos histriônicos a 6 reais com direito a meia para estudante.

BOCA NO MUNDO: Querem Criminalizar a Liberdade Total

Junho 7, 2013

intimacao

Do Blog do Zé Celso

Pois é. Acabo de receber esta intimação policial como “Ilmo. Sr. Diretor da Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, para fazer comparecer no 23º DISTRITO POLICIAL DE PERDIZES, dia 11 de junho, um dos nossos tecno-artistas associados para elucidar os fatos, e mais: reconhecer os atores de teatro em fotos ou vídeos postadas na web sob o título “Decapitação do Papa na PUC”, na “Ocupação da PUC pela Democracia”.

Achei o documento francamente delicado, educado, mais ainda, até afetusoso. Mas… o fato é que estamos sendo precessados mais uma vez pelos que devíamos processar pelo desrespeito ao Teatro e ao Estado Laico Brasileiro: os “Fundamentalistas Católicos Apostólicos ROMANOS”, que consideram a atuação teatral farsesca mais desrespeitosa do que o próprio ato destes Fundamentalistas de violar o espaço até então livremente sagrado da Universidade Católica.

Os alunos e muitos professores ocuparam a Universidade em virtude da nomeação para a Reitoria de uma candidata que pegou 3º lugar na eleição, mas foi a escolhida antidemocraticamente pelos representantes do Vaticano no Brasil por estar de acordo em transformar a PUC num “Recinto de Pregação Fundamentalista ROMANA”.

Estamos pasmos de ver todo dia e toda noite as epidemias mundiais assassinas na violência praticada pelos Monoteísmos Fundamentalistas de todos que se consideram donos de “Uma Verdade Absoluta” e “Um só Caminho”.

Ratzinger, antes de ser Bento XVI, já tinha castrado o movimento da Teologia da Libertação, de importância imensa para a vida cultural, religiosa e social do Brasil.
No ano passado, quando sua fé como Papa já estava se perdendo, o representante de Deus na Terra quis tornar a PUC o que era no seu início.

Eu fiz dois anos de Filosofia na PUC nesta fase inicial, antes dos anos 60, ao mesmo tempo que fazia Direito na São Francisco.
Desisti porque, entre outros, nosso professor Alexandre Correia, por exemplo, explicava com argumentos na matéria que lecionava, Lógica, a transubstanciação da Eucaristia em Corpo de Cristo… Vocês acreditam?
O Livro de Filosofia adotado no curso era um Catecismo trans-medíocre do Padre Leonel Franco.
Mas depois a PUC evoluiu de acordo com a evolução da Igreja nos anos 60,70 e 80 e tornou-se mesmo um reduto das mais decisivas lutas para derrubar a Ditadura Militar no Brasil.
O velho fundamentalismo do ensino havia sido superado e a Universidade Católica de Perdizes tornou-se Exemplar no Brasil e no Mundo pela sua prática da Liberdade Criadora nos Ensinos da Ciência, das Tecnologias e das Artes.

No ano passado estudantes da PUC foram nos procurar quando estávamos fazendo a peça “Acordes”, de Bertolt Brecht, chamando-nos outra vez à luta pela Liberdade do Ensino Laico no Estado Brasileiro Laico, na PUC agora ameaçada pela regressão à uma Universidade Fundamentalista Católica Apostólica ROMANA.
Os estudantes tinham ocupado a PUC e não permitiam a entrada da reitora imposta pelos representantes do Papa em São Paulo.
Na peça “Acordes” havia um Bonecão que representava o Capitalismo e que era despedaçado por dois Palhaços numa Cena de Circo de Horrores, no estilo tradicional teatral de “Gran Guignol”.
Então adaptamos o texto para a situação que a PUC estava sofrendo e apresentamos esta cena clássica do “Circo-Teatro” de Todos os Tempos: a Desmontagem, a DesParamentação, a retirada de uma Máscara Papal,
tal como o próprio Ratzinger que acabou, ele mesmo, safando-se, saindo dela.

Será que a Bruxaria Teatral tem este poder? Libertou Ratzinger da própria Estrutura de sua Fantasia Papal?

O Teatro tem este poder: o de mostrar o ser humano mortal Paramentado com as vestes que lhe conferem Autoridade, muitas vezes destruindo a própria humanidade dos que se Paramentam, que passam a agir como Aparelhos, pois a Mascara se colou à pele

Jean Genet, em sua Obra Prima “O Balcão”, mostra um Bordel onde os clientes vestem as máscaras sociais de Papa, de Juiz, de Rainha, de General, de Polícia, etc… para transar seu “p(h)oder” com as putas que fingem acreditar em suas representações.
Na peça há uma Revolução e estas Máscaras das Autoridades são depostas, mas os partidários anti–revolucionários que restam vão ao Bordel e pedem que os clientes que frequentavam o Puteiro apareçam no Balcão do Palácio do Governador com suas Fantasias para conter a humanidade revoltosa com elas: suas Máscaras de Poder.

Bertolt Brecht tem em “Galileu Galilei” uma das mais belas cenas de teatro: mostra um Cardeal a favor da liberdade da Ciência, amigo de Galileu que vai se tornar Papa, mas à medida que vai se paramentando de Cardeal da Santa Inquisição, passa a argumentar a favor da prisão e tortura do grande físico Galileu porque ele afirma que a Terra gira.
No final da Paramentação, quando recebe a Mitra, o Cardeal Libertário concorda com a intimação do seu ídolo: o físico GG, para as salas de Tortura da Polícia da Inquisição.

Querer incriminar os artistas de Teat(r)o por esta cena é um atentado à liberdade de expressão do ator, isto é, ao “Anarquista Coroado”, como Artaud, um dos maiores sacerdotes Xamãs do Teatro afirma.

O Teatro é realmente o lugar onde tudo que é humano, transumano, subumano, animal, vegetal, mineral, pode ser vivido em forma de Máscaras de Dionísios, seu deus.
É o espaço da Liberdade Total. Nós das Artes, que lutamos contribuindo para abolir a Censura no Brasil durante a Ditadura Militar e ganhamos esta conquista não podemos recuar e aceitar a CENSURA à nossa atividade.

Esta criminalização da etherna atividade teatral à Liberdade de “rir corrigindo os costumes” demonstra que quem nos processa quer criminosamente o retorno do “Imperialismo Romano Católico Apostólico”, intrometendo-se no Estado Democrático e Laico brasileiro em forma de Criminalização Inquisitorial.

O Brasil é um país de maior número de católicos no mundo. Eu mesmo sou batizado, fiz 1ª Comunhão, mas por ter uma educação religiosa fundamentalista tirei o meu Corpo deste campo minado de Perversões.
Os brasileiros católicos não são romanos, são católicos antropófagos – frequentam o espiritismo, a Macumba, o Candomblé, a Umbanda, o Budismo – trepam com camisinha, portanto não somente para fabricar filhos, mas pelo prazer desta prática sagrada que é o ato sexual em si – um ato de amor, de criação e procriação quando há consentimento das partes.
Se casam, como os gays de hoje. Se a mulher que é mulher sabe o que quer e quiser abortar, aborta e depois confessa e comunga.
Sou vizinho de um lugar onde de 15 em 15 dias se encontram casais católicos carismáticos que passam os sábados e domingos dançando ao som do Tambor com toques até de Mãe Menininha.

Há, como diz Oswald de Andrade, um sentimento religioso “órfico” em todos nós, diante do Mistério da Vida no Cosmos.

Nossos ancestrais – minha avó paterna era índia – eram antropófagos, comiam carne humana tanto do inimigo mais forte para lhe adquirir as qualidades quanto dos entes queridos, filhos, irmãos, pais, avós, mulheres e maridos.
Era uma Cerimônia não para matar a fome, mas religiosa como a Eucaristia Católica que é uma sublimação da Antropofagia.
Talvez por isso no Brasil o catolicismo popular da maioria não tem a rigidez de outras religiões.

O Fundamentalismo é imposto pela religião do Hemisfério Norte, que antropofagiou o Império Romano e seus cristãos entregues aos leões, e tornou-se a Religião Católica Apostólica do Império Romano com ambições colonialistas e imperiais no mundo todo.

Esse tempo passou.

Vivemos de acordo com o que desejamos para nós mesmos e para todos, de mais gostoso.

A submissão a podres poderes é um assunto que está querendo retornar pelos que se sentem inseguros diante das revoluções que vem trazendo outros ares aos nossos tempos, desde 1967.

Por isso diante desta intimação delicada, que tem por traz dela os fundamentalistas que querem nos criminalizar, ponho a BOCA NO MUNDO.

José Celso Martinez Corrêa

orgulhosamente

Presidente da Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona

Paz Humor Amor e Muito Mais

ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES DO TEATRO OFICINA SERÁ TRANSMITIDA HOJE NA ÍNTEGRA PELA INTERNET

Dezembro 23, 2012

Reafirmando mais uma vez o amor pela vida, a Associação Teat®o Oficina Uzyna Uzona encerra o ano e a temporada 2012 de ACORDES com o seu Rito de Ethernidade de Luis, onde lembra a vida de Luis Antônio Martinez Corrêa, vítima de assassinato homofóbico em 1987. A programação – que acontece todos os anos no dia 23 de dezembro – contará com uma sessão especial de ACORDES, às 14h30, no Teat®o Oficina. A última semana de ACORDES será marcada também pela gravação do DVD de ACORDES, cujo registro será feito durante todas as suas últimas sessões: sexta (21h30), sábado (21h) e domingo (às 14h30, durante o Rito de Ethernidade de Luis, e às 20h, na última sessão).

Todas as apresentações terão transmissão ao vivo pela internet, aqui no site.

Luis Antônio Martinez Corrêa, diretor de teatro, dramaturgo, tradutor de Brecht e Maiakovski, ator e professor, foi assassinado no Rio de Janeiro em 1987, no dia 23 de dezembro. Desde então, a Associação Teat®o Oficina Uzyna Uzona realiza nesse dia, sempre às 14h30, um Rito de Ethernidade reunindo artistas e público em torno de uma obra que tenha ligação profunda com a vida do Oficina no presente aqui-agora.

Este ano, a celebração será feita através de ACORDES, mais recente rito musical da Associação Teat®o Oficina Uzyna Uzona, dirigido por José Celso Martinez Corrêa (e com codireção de Catherine Hirsh, Marcelo Drummond e Camila Mota). Ele estreou no dia 08 de novembro em SamPã e, em sua reta final para mudanças permanentes nas #festasdefimdomundo (fica em cartaz somente até domingo, dia 23/12), gravará o seu DVD com o Coro da Multidão formado pelo público presente em suas quatro sessões. Será a despedida de 2012 da equipe de mais de 60 pessoas da Cia. Uzyna Uzona e da Universidade Antropófaga, que completam, assim, 24 sessões de uma temporada curta e intensa no Teat®o Oficina. O Rito de Ethernidade de Luis também será incluído nos extras do DVD de ACORDES, ainda sem previsão de lançamento.

Luis_ant_nio_martinez_corr_a-news Luis Antônio Martinez Corrêa. #toacordes
Luis_ant_nio_martinez_corr_a_2_-news
Luis Antônio Martinez Corrêa. #toacordes
http://teatroficina.uol.com.br/menus/45/posts/657

Quando a arte engajada encontra o modismo industrial: Gangnam Style teatro oficina uzyna uzona

Dezembro 19, 2012

Teatro Oficina Uzina Uzona em seu novo movimento brechtiano Acordes

Novembro 9, 2012

O Teat(r)o Oficina endioniziado por Zé Celso Martinez Corrêa estreia oficialmente hoje (9) seu novo espetáculo Acordes que é um versão da ópera “Das Badener Lehrstück Vom Einverständnis”,de Bertolt Brecht e Paul Hindemith também conhecida como “A Peça Didática de Baden-Baden…”. A peça que aconteçe no teatro dionisíaco no Bixiga, Bela Vista em São Paulo encena 20 atores e duas bandas musicais trazendo os cantos Hindemith em nova versão.

A obra de Brecht foi composta durante a crise de 1929, no ápice da Revolução Industrial, a peça continua o enredo de Voo sobre o Oceano com a derrubada do avião do texto anterior. Isto ocorre pois o personagem do outro livro, o primeiro homem a cruzar o Atlântico, Charles Lindbergh, se filiou ao Partido Nazista.

Segundo Zé Celso “o avião que cai é a ordem capitalista em decadência. Com ele surgem valores diferentes e a possibilidade de novos voos, iniciando o caminho para a construção de um outro mundo. A revolução está em nós mesmos, na capacidade e no trabalho de cada um”, afirma Martinez.

O espetáculo fica em cartaz de sexta a domingo sempre às 21 horas e domingo às 20 horas até 23 de dezembro com ingressos populares entre 20 e 10 reais. Estes podem ser adquiridos pelo site www.compreingressos.com, pelo email ingressos@teatroficina.com.br ou na bilheteria com uma hora de antecedência, em relação ao horário das sessões.  

Notas que valem uma nota

Agosto 18, 2012

  • Um dos grandes nomes da nossa música conhecido principalmente pela maestria na flauta, instrumento que tocava, não produzirá mais sua música por aqui. Altamiro Carrilho foi um dos grandes instrumentistas brasileiros sendo um exímio tocador de choro. Em seu repertório compôs mais de 200 peças e acompanhou diversos músicos. Toca aí Altamiro!!!

 

  • Londres não é somente sede dos passados Jogos Olímpicos. Abriu nesta semana uma exposição no Victoria & Albert Museum chamada “Azul dos Ventos” que ficará até o fim de outubro com a arte do loucartista Arthur Bispo do Rosário. Com 83 obras deste artista nacional inclundo faixas de miss, estandartes, roupas, barcos a vela, junção de materiais descartados, bordados, consertos, sobreposições, escritas e desenhos.

 

  • Se as mulheres fossem líquidas o que você faria? -Tomaria em um canudinho- responde o machista. Não conseguirias. Ela te inundaria com seu movimento deviriano. Assim a exposição “Mulheres líquidas” traz a produção artística que se esparrama em fotografia, pintura, desenho e gravura na Galeria Theodoro Braga em Belém do Pará. E nesta quinta (23) rola um Laboratório de Apreciação Criativa para os sexuados ou não.

 

  • E o Cine Clube Dragão do Mar exibe hoje (18) às 16 horas o clássico do cinema nacional A dama do cine Shanghai dirigido por Guilherme de Almeida Prado e com classificação indicativa de 16 anos.

  • Um dos maiores nomes  da arquitetura e paisagismo do Brasil receberá uma exposição no Museu Nacional dos Correios em Brasília. Trata-se de “A Figura Humana Roberto Burle Marx” que contêm 120 trabalhos que sintetizam o período inicial da produção do artista e que fica em cartaz até 4 de novembro. As obras realizadas em vários meios conta um pouco do processo artístico deste homem que foi também ceramista, escultor, criador de joias e cantor, além de ter planejado centenas de jardins.

 

  • Neste fim de semana (18 e 19), a Caixa Cultural do Rio de Janeiro apresentará a mostra 100 anos de Nelson Rodrigues – Provocando o cinema brasileiro, que contará com 17 filmes baseados na obra do escritor. Clássicos como Um olhar sobre a cegueira de Nelson Rodrigues  de Felipe Duque e Mariana Abbade; A dama da lotação  de Neville de Almeida; O beijo de Flávio Tambellini; A falecida de Leon Hirszman; Boca de Ouro de Nelson Pereira dos Santos e muito mais.

 

  • Boas novas…O gigante Gilberto Gil se apresentará se apresenta nesta quinta (23) as 21 horas na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional em Brasília ao lado da Orquestra Sinfônica da Bahia. Agora os ingressos são a partir de 140 reais… Tem 100 pra me emprestar?

 

  • O musical Zumbi, que conta com canções de Edu Lobo e texto de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri, está com uma nova montagem com direção de João das Neves e direção musical de Titane. Em cartaz de quinta a domingo até o início do mês que vem no  Centro Cultural Banco do Brasil, a peça conta a história dos quilombolas de Palmares e Zumbi em sua luta.

  • Afrika Bambaataa, que é um dos pais do Hip-hop, foi nomeado professor visitante na Universidade de Cornell durante três anos. Lá ele fará um trabalho junto aos estudantes e a comunidade na construção de novas realidades a partir do hip-hop. A Universidade conta com o maior acervo da cultura hip-hop e seus elementos do break, dj, mc e graffite. Manda a ver Bambaataa.

 

  • Diversos curtas-metragens produzidos por alunos do Curso de Audiovisual da Escola de Comunicação e arte estarão presente na “Mostra de curtas da ECA” que acontece na Cinemateca Brasileira em São Paulo de terça a quinta (21 a 23). Destaque para Cão, de Iris Junges; Descompasso, de Jasmin Tenucci; Em fins, de Gustavo Fattori; O muro, de Giovanna Calistro; O pai daquele menino, de Raul Arthuso; e uma homenagem a Wilson Barros com Disastermovie, Diversões solitárias, Maria da Luz, Tigresa e Verão.

 

  • A Cinemateca Brasileira em sua “Primeira Exibição” traz ao público o filme A Laje dos Sonhos, de Raquel Pellegrini. Caso você tenha um cinema e tem interesse em projetar envie um pedido para programacao@cinemateca.org.br

 

  • Segundo uma publicação divulgada nesta semana o consumo diário de chocolate escuro pode ajudar a reduzir levemente a pressão sanguínea. A partir da análise de 20 estudos do grupo Cochrane e diversos especialistas, o cacau relaxa os vasos sanguíneos e no chocolate escuro e amargo há muito mais cacau.A pesquisa viu que o cacau reduziu a pressão entre 2 a 3 mmHg. Então coma pouco chocolate e relaxe muito…

  • Atenção foliões a Leopoldina vai parar! Neste domingo (19) o bloco carnavalesco Cacique de Ramos fará em seu QG em Olaria um sambão em homenagem ao cantor romântico Elymar Santos.Em sua tradicional feijoada, realizada todo terceiro domingo de cada mês, o Cacique de Ramos manda a ver a partir das 13 horas com Grupo Quinteto Cacique e Renatinho Partideiro. Pra entrar não precisa pagar mas pra comer o feijão que é tão bom quanto da Vicentina custa 15 tocos…
  • O bailarino Jaime Amaral está com sua tese bailante de cultura popular da região norte sobre o mito do Matinta Perera que é uma velha vestida de preto com saia longa, cachimbo e tabaco nas mãos. A Matinta Perera como é chamada, assombra as pessoas com o seu assobio perturbador, um som de um pássaro agourento. Essa velha senhora ronda as casas das pessoas pedindo tabaco e quem não oferecer esse fumo para ela sentirá violentas dores na cabeça e no corpo todo, então todos devem dizer para Matinta: “Se queres tabaco passa amanhã” e assim ela vai embora, mas no dia seguinte pela manhã aparece para cobrar o fumo prometido.  Quem quiser conhecer mais é só ir neste fim de semana no Teatro Universitário Cláudio Barradas em Belém do Pará a partir das 20 horas e pagar 20 reais… Só não espere a meia noite…

 

  • O Festival Internacional de Curtas-Metragens de Sâo Paulo- Curta Kinoforum chega a mais uma edição começando na próxima sexta (24) e trazendo o melhor da programação nacional e latino-americana. Neste nao haverá o lançamento do livro comemorativo dos 10 anos das Oficinas Kinoforum, uma coleção de DVDs  e o debate Formação do olhar, animado pelo crítico Jean-Claude Bernardet. Dentre os curtas destaque para Café Regular do egípcio Ritesh Batra, A regra de três do ator e diretor Louis Garrel, Rafa do português João Salaviza, Música para um natal e seis percussionistas dos suecos Ola Simonsson, Johannes Stjärne Nilsson, Loxoro da peruana Claudia Llosa, os brasileiros Vale Graffite de Auira Ariak, Até a vista de Jorge Furtado, Porn Karaoke de Daniel Augusto, Jaçana e o Adoniran de Rogério Nunes, Lin e Katazan de Edgar Navarro.

 

  • O festival Visões Periféricas é o festival dos cinemas das beiradas de jovens periféricos que começaram com cursos de audiovisual e hoje já mostram seu trabalho. Nesta edição que está rolando até 25 deste mês na Oi Futuro de Ipanema no Rio, vemos produções como FUNK Zona Leste de Coletiva; Acadêmicos do Vidigal – O Começo de Calucha Câmara; Quando Morremos a noite de Eduardo Morotó;  O Fim do Mundo no Morrinho de Christian Caselli, Petter Baiestorf, Raniere Dias, Cilan Oliveira e Chico Serra; Tom Zé em: A lavagem das calcinhas voadoras de Pixel Banana;  Ditirambo de Sergio Felizia; Remoto de Roberto Perez;  Caxambu do Salgueiro de Instituto Tear e muito mais….

 

  • O Projeto Meu Caro Amigo Chico Buarque do Clube do Choro em Brasília traz nesta semana de quarta a sexta (22 a 24) a música de Arthur Maia (contrabaixo) com participação de Di Steffano (bateria), Luiz Otávio (teclados) e Ademir Júnior (saxofone). Meu caro amigo eu quis até telefonar, mas a tarifa não tem graça!

 

  • Não me curta… O Cineclube Curta Doze e Meia do Centro Cultural Correios em Recife apresenta na próxima quinta (23) os curtas Desventuras de um dia ou a vida não é um comercial de margarina… de Adriana Meirelles; Linguagem de Orson Welles de Rogério Sganzerla; Até o Sol Raiá de Fernando Jorge e Leandro Amorim; Recife de dentro pra fora de Kátia Mesel.

Dos labuteiros nas ruas e estradas para os cinemas

Notas capetas

Agosto 11, 2012

  • A cantora mexicana Chavela Vargas (nascida na Costa Rica) parou sua produção nesta última  semana após seus 93 anos de existência. Ela que sempre foi polêmica em sua música, cantou  aos mortos na revolução mexicana, assumiu publicamente sua homossexualidade (há quem diga  que namorou Frida Khalo) e lutou contra homofobia. Foi amiga e cantou em alguns cinemas de Pedro Almodovar. Uma mulher que amou a revolução e cuja lutas continuam…

 

  • A Mostra de Cinema Fantástico e de Terror Espanhol do Instituto Cervantes em Brasília chega  em sua terceira edição exibindo a partir de quarta (15) filmes terrorificantes de diretores  como Jesús Franco e Armando de Ossorio. Serão exibidos gratuitamente cinemas como Pânico no  Transiberiano , Drácula contra Frankenstein, A marca do lobisomem  e O ataque dos mortos sem  olhos. A mostra vai até sabado com entradas horrorosas…

 

  • Nesta semana vindoura o Festival Varilux começa sua edição deste ano exibindo diversas obras  atuais do cinema francês. O festival que começa na quarta (15) e vai até o dia 23 deste mês.  Exibido em 30 cidades, as cidades serão contempladas com diversos bons cinemas como A filha  do pai de Daniel Auteuil; A vida vai melhorar de Cédric Kahn; Americano do cineasta que tem  cinema no sangue Mathieu Demy; E agora onde vamos? de Nadine Labaki; Polissia de Maïwenn;  Uma garrafa no mar de Gaza de Thierry Binisti, entre muitos outros.

 

  • O Cine Clube Dragão do Mar em Fortaleza exibe hoje (11) a partir das 16 horas o longa Nunca  fomos tão felizes de Murillo Salles. E logo depois exibe o curta Projeto 68 da diretora  Julia Mariano.

  • Um dos mais importantantes guitarristas de blues do Brasil, o bluesman Celso Blues Boy parou sua produção terrenea nesta semana. Junto com Nuno Mindeles, Celso brilhou na cena nacional e tocou junto com Luiz Melodia, Sá & Guarabyra e as bandas Legião Estrangeira e Aero Blues. Seu reconhecimento ocorreu também lá por fora, sendo ele considerado pela revista Backstage como um dos 20 maiores guitarristas da história.Manda blues…

 

  • O Centro Cultural Ibeu do Rio de Janeiro exibe na próxima quinta (16) às 19 horas o concerto  da Camerata de Violões do Conservatório Brasileiro de Música, que está comemorando 15 anos.  O grupo apresentará um repertório contendo Heitor Villa-Lobos (Bachianas Brasileiras No. 1;  Introdução – embolada; Prelúdio – modinha; Fuga – conversa), Lorenzo Fernandez (Três estudos  em forma de sonatina | I – Allegro con brio; II – Moderato; III – Allegro Scherzoso),  Francisco Mignone (Congada), João Pernambuco (Sons de Carrilhões), Nicanor Teixeira  (Mariquinha duas covas) e Ernesto Nazareth (Brejeiro).

 

  • O Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo exibe a partir da próxima sexta (17) a mostra  “20 Anos de Takashi Miike” que traz sua obra desde o início da carreira  até grande  sucessos. Infelizmente não foi divulgada a programação, mas como curiosidade não mata tanto  quanto o Ichi de um rolê pelo centro de sumpa e entre nesta parada…

 

  • Os presídios são uma forma do estado controlar os detentos que são impedidos de produzir  suas atividades. Lá os presídios tem seu tempo e espaço limitados, assim como a vida  racionada. Em uma tentativa de mostrar que seu sistema prisional é diferente (ao menos na  fantasia), o Estado do Rio de Janeiro está exibindo na Assembleia Legislativa do Rio de  Janeiro (Alerj)a exposição Arte: Um Corpo Ilimitado, um Olhar sem Limites que traz 40 telas  a óleo, criadas por detentos participantes de uma oficina artísticas. A exposição que fica  até 14 de setembro traz uma mostra a sociedade de consumo que os mantem preso. Resta saber  se a produção continuara ou é pra burguês ver.

  • Um dos maiores artistas do século passado, Alberto Giacometti, está com uma grande exposição  com 282 obras em cartaz até o dia 16 de setembro no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de  Janeiro. A exposição está entre uma das mais importantes do ano então deixe sua preguiça por  ai e confira…

 

  • O cinema surdo (dito mudo) e silencioso estará presente na VI Jornada Brasileira de Cinema  Silencioso que ocorre no Parque Ibirapuera em São Paulo. A mostra que começa hoje (11) vai  até o dia 19 trazendo cinemas como A carruagem fantasma, de Victor Sjöström; O gabinete das  figuras de cera, de Leo Birinsky e Paul Leni; O gabinete do dr. Caligari, de Robert Wiene;  Arsenal, de Aleksander Dovjenko; Esposa e mártir, de Sam Wood; As mãos de Orlac , de Robert  Wiene;As extraordinárias aventuras de Mr. West no país dos bolcheviques, de Lev Kulechov.  Haverá ainda uma mostra sobre a exposição modernista de 22 com diversos curtas e palestras, oficinas e muito mais. Silencie suas angustias e improdutividades.

 

  • O projeto Meu Caro Amigo Chico Buarque do Clube do Choro em Brasília continua sua produção de quarta a sexta (15 a 17) quando se apresentam Wagner Tiso & Victor Biglione no palco choristico. No sábado (18) é a vez da Quadrilha do Rock que forrozeará todo rock deste mundo. Então mando notícias nesta fita…

 

  • Os cabulosos Criolo e Emicida, grandes nomes do rap nacional, estarão apresentando junto no Espaço das Américas em São Paulo no dia 8 de setembro. Tamo mandando esta fita por que os ingressos já estão à venda pelo site Ticket 360 e custam 60 tocos podendo comprar meia-entrada também. Então se liga e compra os ingressos por que a partir das 21 horas o buraco é mais embaixo.

  • Magro, um dos grandes nomes da música popular brasileira que integrou o conjunto vocal MPB-4  parou sua produção existencial nesta semana. Um músico que tocava diversos instrumentos e  que participou de espetáculos com Chico Buarque, Gonzaguinha, Toquinho, Quarteto em cy. O  grupo MPB-4 estava ativo a quase 50 anos.

 

  • Está rolando durante toda esta semana a já tradicional Bienal do Livro de São Paulo. Além dos estandes e vendas de milhares de livros, a Bienal promove cursos, espetáculos e palestras. Desta última destaque para Leituras de Jorge Amado feitas por Tom Zé, José Castello e Ilana Goldstein que rola amanhã (12) às 18 horas.  Na terça (14) as 18 horas    rola o encontro Jornalismo e crítica cultural debatido com Ademir Assunção e Arrigo Barnabé. Na quinta (15) rola as 14 horas A garçonnière de Oswald de Andrade com Zé Celso Martinez Correa e Renato Borghi, seguidos  do debate O cinema brasileiro por seus diretores com    Beto Brant, Toni Venturi as 17 horas e Tarsila e a Semana de 22 com    Maria Adelaide Amaral as 19 horas. No próximo domingo (19) as 18 horas rola o debate com os cineastas Cao Hamburguer, Lucia Helena Rangel. Aproveita que senão é só daqui a 2 anos.

 

  • O projeto maranhense “Teatro nos passos do Boi: no miolo da floresta” chega hoje (11) a Belém na Escola Brigadeiro Fontenelle, no  bairro da Terra Firme e no Teatro Cláudio Barradas. com presentações às 21 horas e com entrada franca. Além disso haverá workshops sobre a história do boi-bumbá e suas nuances e lançamento de livro. A peça conta a estória de um homem pobre que é brincante de bumba me boi e sonha ser o cantador do boi.

 

  • Nesta tarde de hoje (11) a partir das 16:30 na Biblioteca Parque da Rocinha localizada na Favela da Rocinha no Rio de Janeiro haverá o Sarau Letras na Favela. Haverá leitura de textos de Nelson Rodrigues, pequenos poetas em ação, lançamento de livros, o músico Robson Pacífico, exibições artísticas e muita poiesis. Valeu Rocinha…

Em a produção de Chavela Vargas continua viva em nós