Posts Tagged ‘Zé Celso Martinez Correa’

BOCA NO MUNDO: Querem Criminalizar a Liberdade Total

Junho 7, 2013

intimacao

Do Blog do Zé Celso

Pois é. Acabo de receber esta intimação policial como “Ilmo. Sr. Diretor da Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, para fazer comparecer no 23º DISTRITO POLICIAL DE PERDIZES, dia 11 de junho, um dos nossos tecno-artistas associados para elucidar os fatos, e mais: reconhecer os atores de teatro em fotos ou vídeos postadas na web sob o título “Decapitação do Papa na PUC”, na “Ocupação da PUC pela Democracia”.

Achei o documento francamente delicado, educado, mais ainda, até afetusoso. Mas… o fato é que estamos sendo precessados mais uma vez pelos que devíamos processar pelo desrespeito ao Teatro e ao Estado Laico Brasileiro: os “Fundamentalistas Católicos Apostólicos ROMANOS”, que consideram a atuação teatral farsesca mais desrespeitosa do que o próprio ato destes Fundamentalistas de violar o espaço até então livremente sagrado da Universidade Católica.

Os alunos e muitos professores ocuparam a Universidade em virtude da nomeação para a Reitoria de uma candidata que pegou 3º lugar na eleição, mas foi a escolhida antidemocraticamente pelos representantes do Vaticano no Brasil por estar de acordo em transformar a PUC num “Recinto de Pregação Fundamentalista ROMANA”.

Estamos pasmos de ver todo dia e toda noite as epidemias mundiais assassinas na violência praticada pelos Monoteísmos Fundamentalistas de todos que se consideram donos de “Uma Verdade Absoluta” e “Um só Caminho”.

Ratzinger, antes de ser Bento XVI, já tinha castrado o movimento da Teologia da Libertação, de importância imensa para a vida cultural, religiosa e social do Brasil.
No ano passado, quando sua fé como Papa já estava se perdendo, o representante de Deus na Terra quis tornar a PUC o que era no seu início.

Eu fiz dois anos de Filosofia na PUC nesta fase inicial, antes dos anos 60, ao mesmo tempo que fazia Direito na São Francisco.
Desisti porque, entre outros, nosso professor Alexandre Correia, por exemplo, explicava com argumentos na matéria que lecionava, Lógica, a transubstanciação da Eucaristia em Corpo de Cristo… Vocês acreditam?
O Livro de Filosofia adotado no curso era um Catecismo trans-medíocre do Padre Leonel Franco.
Mas depois a PUC evoluiu de acordo com a evolução da Igreja nos anos 60,70 e 80 e tornou-se mesmo um reduto das mais decisivas lutas para derrubar a Ditadura Militar no Brasil.
O velho fundamentalismo do ensino havia sido superado e a Universidade Católica de Perdizes tornou-se Exemplar no Brasil e no Mundo pela sua prática da Liberdade Criadora nos Ensinos da Ciência, das Tecnologias e das Artes.

No ano passado estudantes da PUC foram nos procurar quando estávamos fazendo a peça “Acordes”, de Bertolt Brecht, chamando-nos outra vez à luta pela Liberdade do Ensino Laico no Estado Brasileiro Laico, na PUC agora ameaçada pela regressão à uma Universidade Fundamentalista Católica Apostólica ROMANA.
Os estudantes tinham ocupado a PUC e não permitiam a entrada da reitora imposta pelos representantes do Papa em São Paulo.
Na peça “Acordes” havia um Bonecão que representava o Capitalismo e que era despedaçado por dois Palhaços numa Cena de Circo de Horrores, no estilo tradicional teatral de “Gran Guignol”.
Então adaptamos o texto para a situação que a PUC estava sofrendo e apresentamos esta cena clássica do “Circo-Teatro” de Todos os Tempos: a Desmontagem, a DesParamentação, a retirada de uma Máscara Papal,
tal como o próprio Ratzinger que acabou, ele mesmo, safando-se, saindo dela.

Será que a Bruxaria Teatral tem este poder? Libertou Ratzinger da própria Estrutura de sua Fantasia Papal?

O Teatro tem este poder: o de mostrar o ser humano mortal Paramentado com as vestes que lhe conferem Autoridade, muitas vezes destruindo a própria humanidade dos que se Paramentam, que passam a agir como Aparelhos, pois a Mascara se colou à pele

Jean Genet, em sua Obra Prima “O Balcão”, mostra um Bordel onde os clientes vestem as máscaras sociais de Papa, de Juiz, de Rainha, de General, de Polícia, etc… para transar seu “p(h)oder” com as putas que fingem acreditar em suas representações.
Na peça há uma Revolução e estas Máscaras das Autoridades são depostas, mas os partidários anti–revolucionários que restam vão ao Bordel e pedem que os clientes que frequentavam o Puteiro apareçam no Balcão do Palácio do Governador com suas Fantasias para conter a humanidade revoltosa com elas: suas Máscaras de Poder.

Bertolt Brecht tem em “Galileu Galilei” uma das mais belas cenas de teatro: mostra um Cardeal a favor da liberdade da Ciência, amigo de Galileu que vai se tornar Papa, mas à medida que vai se paramentando de Cardeal da Santa Inquisição, passa a argumentar a favor da prisão e tortura do grande físico Galileu porque ele afirma que a Terra gira.
No final da Paramentação, quando recebe a Mitra, o Cardeal Libertário concorda com a intimação do seu ídolo: o físico GG, para as salas de Tortura da Polícia da Inquisição.

Querer incriminar os artistas de Teat(r)o por esta cena é um atentado à liberdade de expressão do ator, isto é, ao “Anarquista Coroado”, como Artaud, um dos maiores sacerdotes Xamãs do Teatro afirma.

O Teatro é realmente o lugar onde tudo que é humano, transumano, subumano, animal, vegetal, mineral, pode ser vivido em forma de Máscaras de Dionísios, seu deus.
É o espaço da Liberdade Total. Nós das Artes, que lutamos contribuindo para abolir a Censura no Brasil durante a Ditadura Militar e ganhamos esta conquista não podemos recuar e aceitar a CENSURA à nossa atividade.

Esta criminalização da etherna atividade teatral à Liberdade de “rir corrigindo os costumes” demonstra que quem nos processa quer criminosamente o retorno do “Imperialismo Romano Católico Apostólico”, intrometendo-se no Estado Democrático e Laico brasileiro em forma de Criminalização Inquisitorial.

O Brasil é um país de maior número de católicos no mundo. Eu mesmo sou batizado, fiz 1ª Comunhão, mas por ter uma educação religiosa fundamentalista tirei o meu Corpo deste campo minado de Perversões.
Os brasileiros católicos não são romanos, são católicos antropófagos – frequentam o espiritismo, a Macumba, o Candomblé, a Umbanda, o Budismo – trepam com camisinha, portanto não somente para fabricar filhos, mas pelo prazer desta prática sagrada que é o ato sexual em si – um ato de amor, de criação e procriação quando há consentimento das partes.
Se casam, como os gays de hoje. Se a mulher que é mulher sabe o que quer e quiser abortar, aborta e depois confessa e comunga.
Sou vizinho de um lugar onde de 15 em 15 dias se encontram casais católicos carismáticos que passam os sábados e domingos dançando ao som do Tambor com toques até de Mãe Menininha.

Há, como diz Oswald de Andrade, um sentimento religioso “órfico” em todos nós, diante do Mistério da Vida no Cosmos.

Nossos ancestrais – minha avó paterna era índia – eram antropófagos, comiam carne humana tanto do inimigo mais forte para lhe adquirir as qualidades quanto dos entes queridos, filhos, irmãos, pais, avós, mulheres e maridos.
Era uma Cerimônia não para matar a fome, mas religiosa como a Eucaristia Católica que é uma sublimação da Antropofagia.
Talvez por isso no Brasil o catolicismo popular da maioria não tem a rigidez de outras religiões.

O Fundamentalismo é imposto pela religião do Hemisfério Norte, que antropofagiou o Império Romano e seus cristãos entregues aos leões, e tornou-se a Religião Católica Apostólica do Império Romano com ambições colonialistas e imperiais no mundo todo.

Esse tempo passou.

Vivemos de acordo com o que desejamos para nós mesmos e para todos, de mais gostoso.

A submissão a podres poderes é um assunto que está querendo retornar pelos que se sentem inseguros diante das revoluções que vem trazendo outros ares aos nossos tempos, desde 1967.

Por isso diante desta intimação delicada, que tem por traz dela os fundamentalistas que querem nos criminalizar, ponho a BOCA NO MUNDO.

José Celso Martinez Corrêa

orgulhosamente

Presidente da Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona

Paz Humor Amor e Muito Mais

ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES DO TEATRO OFICINA SERÁ TRANSMITIDA HOJE NA ÍNTEGRA PELA INTERNET

Dezembro 23, 2012

Reafirmando mais uma vez o amor pela vida, a Associação Teat®o Oficina Uzyna Uzona encerra o ano e a temporada 2012 de ACORDES com o seu Rito de Ethernidade de Luis, onde lembra a vida de Luis Antônio Martinez Corrêa, vítima de assassinato homofóbico em 1987. A programação – que acontece todos os anos no dia 23 de dezembro – contará com uma sessão especial de ACORDES, às 14h30, no Teat®o Oficina. A última semana de ACORDES será marcada também pela gravação do DVD de ACORDES, cujo registro será feito durante todas as suas últimas sessões: sexta (21h30), sábado (21h) e domingo (às 14h30, durante o Rito de Ethernidade de Luis, e às 20h, na última sessão).

Todas as apresentações terão transmissão ao vivo pela internet, aqui no site.

Luis Antônio Martinez Corrêa, diretor de teatro, dramaturgo, tradutor de Brecht e Maiakovski, ator e professor, foi assassinado no Rio de Janeiro em 1987, no dia 23 de dezembro. Desde então, a Associação Teat®o Oficina Uzyna Uzona realiza nesse dia, sempre às 14h30, um Rito de Ethernidade reunindo artistas e público em torno de uma obra que tenha ligação profunda com a vida do Oficina no presente aqui-agora.

Este ano, a celebração será feita através de ACORDES, mais recente rito musical da Associação Teat®o Oficina Uzyna Uzona, dirigido por José Celso Martinez Corrêa (e com codireção de Catherine Hirsh, Marcelo Drummond e Camila Mota). Ele estreou no dia 08 de novembro em SamPã e, em sua reta final para mudanças permanentes nas #festasdefimdomundo (fica em cartaz somente até domingo, dia 23/12), gravará o seu DVD com o Coro da Multidão formado pelo público presente em suas quatro sessões. Será a despedida de 2012 da equipe de mais de 60 pessoas da Cia. Uzyna Uzona e da Universidade Antropófaga, que completam, assim, 24 sessões de uma temporada curta e intensa no Teat®o Oficina. O Rito de Ethernidade de Luis também será incluído nos extras do DVD de ACORDES, ainda sem previsão de lançamento.

Luis_ant_nio_martinez_corr_a-news Luis Antônio Martinez Corrêa. #toacordes
Luis_ant_nio_martinez_corr_a_2_-news
Luis Antônio Martinez Corrêa. #toacordes
http://teatroficina.uol.com.br/menus/45/posts/657

Teatro Oficina Uzina Uzona em seu novo movimento brechtiano Acordes

Novembro 9, 2012

O Teat(r)o Oficina endioniziado por Zé Celso Martinez Corrêa estreia oficialmente hoje (9) seu novo espetáculo Acordes que é um versão da ópera “Das Badener Lehrstück Vom Einverständnis”,de Bertolt Brecht e Paul Hindemith também conhecida como “A Peça Didática de Baden-Baden…”. A peça que aconteçe no teatro dionisíaco no Bixiga, Bela Vista em São Paulo encena 20 atores e duas bandas musicais trazendo os cantos Hindemith em nova versão.

A obra de Brecht foi composta durante a crise de 1929, no ápice da Revolução Industrial, a peça continua o enredo de Voo sobre o Oceano com a derrubada do avião do texto anterior. Isto ocorre pois o personagem do outro livro, o primeiro homem a cruzar o Atlântico, Charles Lindbergh, se filiou ao Partido Nazista.

Segundo Zé Celso “o avião que cai é a ordem capitalista em decadência. Com ele surgem valores diferentes e a possibilidade de novos voos, iniciando o caminho para a construção de um outro mundo. A revolução está em nós mesmos, na capacidade e no trabalho de cada um”, afirma Martinez.

O espetáculo fica em cartaz de sexta a domingo sempre às 21 horas e domingo às 20 horas até 23 de dezembro com ingressos populares entre 20 e 10 reais. Estes podem ser adquiridos pelo site www.compreingressos.com, pelo email ingressos@teatroficina.com.br ou na bilheteria com uma hora de antecedência, em relação ao horário das sessões.