Archive for the ‘Blog’ Category

Chico Buarque aos 73 anos.

Junho 20, 2017

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas, bebida, tabela, barba e área interna

Anúncios

GREVE GERAL!

Abril 28, 2017

Resultado de imagem para imagens de trabalhadores no século xix em greve

 ESTE BLOG ENCONTRA-SE EM GREVE!

Blog dos Antiquários completou um ano!!!!

Abril 22, 2013

O Blog dos Antiquários fez neste mês de abril um ano de existência produtiva, que neste percurso virtual-artístico trouxe uma série de trabalhos com objetos e lugares que são produções humanas que cortam as falsas novidades que o consumismo quer propor com seus “novos” produtos. Isto sem contar sobre os excelentes textos sobre cinemas antigos e
Colocando as artes, objetos, antiguidades e espaços como intempestivos, com uma importância que ultrapassa a história, os assuntos tratados trazem estéticas que chegaram ao presente e que carregam valores que compõe com nosso tempo.

O blog escrito pelo jovem Aruã Silva Vargas, que em suas palavras adora ” coisas antigas,e por isso eu quero compartilhar com vocês leitores” , traz diversas informações dos tempos idos que continuam ligados conosco. Acesse o Blog dos Antiquários em seu post de um ano e que este blog importante continue por muitos anos trazendo tudo do antiquário das artes que já existe há muitos anos.

POLÍTICA DE DIREITOS AUTORAIS E DE USO DE IMAGENS DO BLOG ESQUIZOFIA

Janeiro 29, 2012

O blog Esquizofia não possui qualquer atividade que tenha fins lucrativos e todos os conteúdos, imagens e textos que são produzidos exclusivamente pelo blog podem ser usados sem fins lucrativos por qualquer pessoa sem prêvia solicitação, mas mantendo a fonte.

Para facilitar geralmente os textos, poesias, contos, críticas de cinema produzidos pelo blog não são assinados, pois são de autoria do próprio blog. Também são produções deste esquizoblog os posts presentes nas seguintes  categorias/tags : poesia esquiza, contos esquizos e Beijos sem lábios. No caso das imagens elas apareceram com uma marca nela escrito (Foto: afinsophia, ou Foto: esquizofia).

Caso queira utilizar com fins lucrativos ou financeiros alguma imagem, material ou texto produzidos pelo blog é necessário entrar em contato para obter a anuência escrita da Associação Filosofia Itinerante (AFIN).

O trabalho do blog é de interesse estritamente coletivo a partir dos vários âmbitos. Todas as fotografias que são feitas pela AFIN em eventos de interesse público e colocadas no blog têm apenas a finalidade de comunicar, noticiar e levantar questionamentos racionais acerca dos temas. Entretanto a Associação Filosofia Itinerante entende que mesmo nas fotografias de um evento público podem haver participantes que desejam resguardar sua imagem, ou até o próprio nome por questões pessoais. Neste ponto a Associação ao ser contactada fará a retirada da imagem ou nome da pessoa independente do motivo pessoal, conforme resguarda o Capítulo II do Código Civil (Lei 10.406/2002) em seu Artigo 20 e 21 que resguarda a imagem, o nome e a vida privada. O mesmo ocorre na produção intelectual (textos, poesias, contos, pinturas, fotografias, etc) de outras pessoas que estão no blog. Caso estas se sintam ofendidas em ter seu material exposto por qualquer motivo, retiraremos prontamente.

Assim a Associação Filosofia Itinerante e o blog esquizofia reforça seu interesse e carater público e não lucrativo, respeitando o direito do uso de suas imagens, textos e produções.

Somos todos piratas?

Novembro 18, 2009

Cultura E Mercado

A discussão sobre propriedade intelectual é das mais importantes para a definição dos rumos da sociedade contemporânea. Estão em jogo o acesso universal ao conhecimento e o direito do autor viver de sua obra, consagrados pela modernidade. Configurado de maneira a atender aos interesses dos grandes conglomerados empresariais o aparato legal vigente é anacrônico e impede a construção de uma sociedade baseada na livre expressão e circulação de conteúdos. As novas tecnologias da informação implodem esse sistema.

Há muito por trás das disputas internacionais a respeito da propriedade intelectual. A pauta da Diversidade Cultural, impulsionada por movimentos organizados no mundo todo, em busca de integridade cultural e artística de produtores independentes, une-se às agendas governamentais com contraposição ao poder unificador e universalista (imperialista?) da monocultura norte-americana, que ampara e sustenta um oligopólio de conglomerados de mídia e entretenimento, as chamadas majors. Não por acaso, as maiores interessadas em criminalizar a dita “pirataria”.

Até mesmo a legitimidade de organismos como a OMPI (Organização Mundial da Propriedade Intelectual), criada para atender interesses privados de detentores de direitos autorais, está em jogo. A partir de do surgimento de inúmeros movimentos, e até partidos políticos, em países como a Suécia, por exemplo, impulsionam a luta por democracia, acesso e liberdade de expressão e circulação na rede.

Na contramão disso tudo temos a lei recentemente aprovada na França, que criminaliza o download, e seus pares, nos diversos cantos do mundo, como a Lei Azeredo do Brasil, que insistem em analisar e regular a web com a lógica linear de controle da demanda, típico das majors em suas práticas comerciais.

A questão é complexa, controversa, de difícil resolução. O mercado fonográfico foi nocauteado pelo download e precisa ser reinventado. Em breve o audiovisual estará na mesma situação, o que exigirá uma resposta mais rápida por parte de produtores e da indústria como um todo, além do desenvolvimento de um marco legal que lide de maneira mais adequada com a situação.

Tema sensível para os artistas, sobretudo os que sobrevivem de direitos autorais, como compositores e autores de obras licenciáveis. O Creative Commons oferece a possibilidade de simplificar este uso, permitindo a circulação de  obras contemporâneas. Ao mesmo tempo, diminui a cada dia a possibilidade de gerar recursos por meio de licenciamentos.

Novos mercado irão surgir, obrigando editoras, produtoras e artistas a buscar remuneração por suas obras. Enquanto isso, o MinC resolve colocar a questão em debate, novamente sem o diálogo necessário com a sociedade. Por isso, é importante a informação e o debate acerca do direito autoral, pois o tema vai ocupar lugar privilegiado nas arenas mais importantes no mundo e no Brasil.

Por: Leonardo Brant