Archive for the ‘Gravura’ Category

PROJETO IMAGENS DO POVO MOSTRA UM MUNDO QUE AS FORÇAS DOMINANTES QUEREM NEGAR

Abril 23, 2014

Tudo começou quando João Ripper, artista de grande acuidade visual/política e talento e profundo observador das existências das comunidades mais desfavorecidas, em 2004, foi convidado pelo Observatório de Favelas, para fazer algumas fotografias da Favela da Maré. Durante a realização das fotos, João Ripper, foi fazendo amizade com os moradores e descobriu o grande interesse por fotografia. Daí, não deu outra: ele iniciou um curso de fotografia. Em maio de 2004, foi formada a primeira turma composta por 22 alunos/fotógrafos.

Em 2006, aumentou a carga horária do curso e João Ripper convidou, para trabalhar com ele, o professor de fotojornalismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Dante Gastaldoni, para ser o coordenador acadêmico do curso.

“Naquele ano eu estava completando 30 anos de magistério e o curso foi um presente. Fiquei encantado com a receptividade. Aqui há uma desorganização criativa, uma liberdade, que não se encaixa nos cânones do sistema de créditos. O projeto tem pulsação própria, a sensação de pertencimento que há aqui não existe na universidade.

Mesmo com essa desorganização criativa, temos critérios firmes. Ao final do curso, cada aluno apresenta um projeto e é avaliado por uma banca. Se o processo avaliativo não fosse sério, não teria a chancela de universidades federais”, observou Dante.

Antes os certificados eram emitidos pela Universidade Federal Fluminense (UFF), agora é pela UFRJ. Uma das grandes realizações do projeto é a criação dos Educadores em Fotografia. Os alunos formados são responsabilizados para ministrar oficinas. A importância dessa experiência é testemunhada por Ratão Diniz, educador-fotográfico formado pelo projeto cuja tese defendida por ele foi o grafite.

“Tem a ver com a democracia, com direito à comunicação, a mudança do olhar. Por isso, não gosto de dar aulas se perceber que o trabalho não vai ter continuidade. Tenho planos de fazer uma viagem pelo interior do Nordeste fotografando, mas também ensinando a fotografar. E planejo deixar a câmara quando for embora de cada cidade”, observou Ratão Diniz.

Para quem pode vivenciar as fotos que revelam Imagens do Povo, dos artistas que fazem parte do projeto, é só dá uma chagada no Rio. As imagens mostram situações das populações ricas em dignidade, beleza, inteligência, sensibilidade e, acima de tudo, vontade de construir uma existência humanizada.   

Anúncios

A arte do cineasta multiartista Jean Cocteau

Janeiro 21, 2013

 

Mourlot Cocteau

Jean Cocteau foi um cineasta bastante conhecido e fez obras primas do cinema como O testamento de Orfeu, Orfeu, Sangue de um poeta, A bela e a fera e A Vila Santo Sospir. Porém além de escrever e dirigir, Cocteau também era artista e trabalhou com litografia. Esta é uma forma de gravuras que vocês vêem, foram impressas em 1957 por Mourlot .

Cocteau foi amigo e colaborou artisticamente com Pablo Picasso.

Cocteau 40

Cocteau 1

Cocteau 2

Cocteau 3

Cocteau 15

Cocteau 24

Cocteau 36

A arte em litografias do jovem escritor Goethe

Dezembro 21, 2012

 

Johann Wolfgang von Goethe, Landschaft nach A. Thiele (Dedié à Monsieur Goethe) 1768

Além de ser um exímio escritor e ter nos trazido clássicos como Fausto, O sofrimento do Jovem Werther, Prometeus, As afinidades eletivas entre outros, Goethe trabalhou nesta gravura intitulada Landschaft nach A. Thiele  que foi dedicada à Monsieur Goethe em 17.

Johann Wolfgang von Goethe, Landschaft nach A. Thiele (Dedié à Monsieur le Docteur Hermann) 1768

Esta gravura é uma paisagem pertecente ao mesmo local geográfico da outra acima.

Devir/Dançar

Outubro 4, 2012

O devir/dançar quintaneiro prossegue sua produção dos bailados desta vida trazendo as conexões artísticas que se entremovimentam. Desta vez trazemos  a dança retratada a partir da arte. Mas não pinturas e sim gravuras (muitas dela em água-forte ou xilogravura).

E estas gravuras são importantes pois retratam uma das bases dos povos americanos e na produção de sua cultura. Trata-se da dança entre outros costumes trazidos pelos negros da África e que até hoje se faz vivo nas tradições culturais, religiosas e dançantes.

As obras de arte desta edição se volta a América Central, na bela ilha revolucionária de Cuba que teve uma grande presença negra (a partir da escravidão) e que se engendrou em diversas práticas culturais da ilha como a santeria, a culinária cubana, a rumba, e outros bailes….

—————————————————————————————————————————————

CLIQUE PARA AMPLIAR

Frédéric Mialhe ou Federico Mialhe (francês que morou em Cuba entre 1838 – 1854) – Dia de Reyes (Dia dos Reis), c. 1851

Costume de 12 dia em Havana, Cuba (Twelfth Day Custom At habana)  publicado no  The Illustrated London News (Jan. 15, 1848), vol. 12, p. 26

Dança Negra em uma Plantação Cubana (Negro Dance on a Cuban Plantation) publicada em Harper’s Weekly (Jan. 29, 1859), vol. 3, p. 73

A Festa dos negros em Havana, 1869(La Fiesta de los Negros en La Habana, Cuba) .Festa celebrada em 6 de janeiro durante a escravidão principalmente.

Museo del Prado exibe na internet a obra quase completa de Francisco José de Goya y Lucientes

Setembro 21, 2012

Um dos museus mais importantes da Espanha, o Museu do Prado, inaugurou um sítio especial para colocar para eternidade  as obras do pintor Francisco José de Goya y Lucientes, mais conhecido como Goya, que é considerado o último mestre do romantismo e o primeiro artista moderno..

O sítio conta com as informações técnicas e históricas de cada obra, bibliografia, localização e opção para vizualização ou apenas para download  em alguns casos em alta definição.

Além de estampas, pinturas e desenhos que cobre praticamente 2/3 da obra do pintor ibérico, o sítio tem documentos manuscritos como cartas (como para o amigo Martín Zapater, a Joaquina Alduy ou ao banquero Joaquín María Ferrer), comentários sobre o processo criativo da obras Los Caprichos entre outros.

Dentre suas obras conhecidas estão Saturno devorando a un hijo (Saturno devorando um filho), El tres de mayo de 1808 en Madrid, o Los fusilamientos (Os fuzilamentos), La maja desnuda (A maia desnuda) e a vestida, os álbuns de Sueños, Caprichos, Burdeos, Tauromaquia. Por fim há uma biografia e bibliografia completa do artista.

Francisco José de Goya y Lucientes – El tres de mayo de 1808 en Madrid, o Los fusilamientos (1814), Madrid, Museo del Prado

CLIQUE PARA AMPLIAR